Polícia

Empresa é autuada por desmatamento e exploração de madeira ilegal no Pantanal

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Corumbá autuou uma empresa paulista dona de fazenda em R$ 6 mil por desmatamento e exploração de madeira ilegalmente no Pantanal. De acordo com a polícia, enquanto realizavam fiscalização em uma fazenda no município, mais precisamente no Distrito de Albuquerque, Policiais Militares Ambientais de Corumbá localizaram hoje (10) um […]

Diego Alves Publicado em 10/02/2021, às 21h45

PMA
PMA - PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Corumbá autuou uma empresa paulista dona de fazenda em R$ 6 mil por desmatamento e exploração de madeira ilegalmente no Pantanal. De acordo com a polícia, enquanto realizavam fiscalização em uma fazenda no município, mais precisamente no Distrito de Albuquerque, Policiais Militares Ambientais de Corumbá localizaram hoje (10) um desmatamento e a exploração da madeira da vegetação derrubada ilegalmente. A supressão ilegal de 6 hectares de vegetação nativa foi verificada quando a equipe percebeu um plantio de pastagem na área.

Os Policiais verificaram se havia a licença ambiental e levantaram que a empresa dona da fazenda não possuía o documento que autorizaria o desmatamento, o qual ocorrera no ano passado. Foi utilizado aparelho de GPS para aferição da área alterada que perfez 6 hectares. Parte da madeira já havia sido explorada e parte ainda estava em leiras no local. As atividades foram interditadas.

A empresa proprietária da fazenda, com domicílio jurídico em Sorocaba (SP), foi autuada administrativamente e foi multada em R$ 6 mil. Os responsáveis responderão por crime ambiental de desmatamento com pena prevista de três a seis meses de detenção e também mais seis meses a um ano de detenção pela exploração ilegal de madeira. A empresa autuada também foi notificada a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

Jornal Midiamax