Polícia

Drogas que saiam de MS eram enviadas em garrafas e motores pelos Correios a vários estados

Tinham um laboratório para a produção de haxixe

Thatiana Melo e Dayene Paz Publicado em 10/05/2021, às 11h33

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Após a prisão de três pessoas no Espírito Santo após um envio de drogas pelos Correios de Campo Grande, duas pessoas foram presas no bairro Buriti, onde foi encontrado um mini laboratório de produção de haxixe, que junto com a maconha era enviada a vários estados brasileiros. A dupla presa na Capital teve a decretação da prisão preventiva mantida.

Foram presos Ijosey Bastos Soares Filho de 25 anos, que era o ‘cabeça’ da quadrilha e Patrick Gomes Pereira de 22 anos, contratado para fazer os ‘corre’ e enviar as drogas via Correios para vários estados brasileiros, sendo um deles com maior incidência, na Bahia.

Foram apreendidos pelos policiais cerca de 242 quilos de bucha e tabletes maconha, sendo que cada quilo da bucha foi avaliado em R$ 5 mil e cada tablete de maconha de R$ 800 a R$ 1 mil. As entregas nos Correios eram feitas em um Voyage de cor preta.

As investigações duraram cerca de cinco meses. Durante a apreensão da droga, os policiais apreenderam um liquidificador industrial que era usado para fabricar haxixe. Os pedidos eram recebidos por telefone pelos traficantes eu enviam os pedidos para todo o país, em garrafas térmicas e motores de máquinas na tentativa de ludibriar a polícia.  

Jornal Midiamax