Polícia

Depois de 11 dias internado, bebê espancado pela mãe morre no HU de Dourados

Raiane Romero, a bebê de 9 meses e 27 dias,  que foi espancada pela mãe em Amambai, com um pedaço de madeira, morreu por volta das 16h da tarde desta quinta-feira (18) em Dourados, em decorrência fraturas múltiplas envolvendo os ossos do crânio e da face. A criança teve afundamento de crânio teve que ser levada […]

Marcos Morandi Publicado em 18/03/2021, às 20h47 - Atualizado em 19/03/2021, às 10h00

Bebê não resisistiu aos ferimentos na cabeça e na face. (Foto: Ilustrativa)
Bebê não resisistiu aos ferimentos na cabeça e na face. (Foto: Ilustrativa) - Bebê não resisistiu aos ferimentos na cabeça e na face. (Foto: Ilustrativa)

Raiane Romero, a bebê de 9 meses e 27 dias,  que foi espancada pela mãe em Amambai, com um pedaço de madeira, morreu por volta das 16h da tarde desta quinta-feira (18) em Dourados, em decorrência fraturas múltiplas envolvendo os ossos do crânio e da face.

A criança teve afundamento de crânio teve que ser levada para o Hospital da Vida em Dourados, com vaga zero e em seguida transferida para o HU-UFGD (Hospital da Universidade Federal da Grande  Dourados), onde permaneceu internada desde o dia 7 de março.

A menina sofreu traumatismo craniano e ficou com o corpo todo lesionado e ainda teve os braços quebrados e no momento está entubada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pediátrica do HU-UFGD em estado gravíssimo.

Segundo informações da polícia, a mãe permaneceu com a criança dentro de casa por quatro dias, sem nenhum atendimento médico e acabou socorrida somente na noite de sexta-feira.

A agressão foi percebida por um policial que estava de plantão no hospital, quando a criança deu entrada. A princípio a mãe relatou que a criança tinha caído da cama.

Entretanto, ela acabou confessando que na terça-feira (2), havia batido na criança com um pedaço de madeira porque , segundo ela, “a criança estava insuportável, chorando demais”.

Diante desse depoimento, a mãe, que é residente em uma aldeia indígena de Amambai  foi conduzida até a delegacia e respondia o procedimento em liberdade. Agora ela  deverá ser investigada investigada por homicídio.

Jornal Midiamax