Polícia

Após matar e enterrar mulher, marido ficou em casa com filho de 2 anos até ser preso

A criança não estava no local no momento do crime

Renata Portela Publicado em 05/08/2021, às 12h49

Marido foi preso pelo assassinato da vítima
Marido foi preso pelo assassinato da vítima - (Reprodução, Instagram)

Laís de Jesus Cruz, de 29 anos, assassinada na segunda-feira (2), deixou um filho de 2 anos que tem com o acusado do crime, Pabilo dos Santos Trindade, de 35 anos. Antes da prisão nesta quarta-feira (4), o acusado estaria com a criança na casa, após ter enterrado a mãe do menino em uma fossa. O crime aconteceu em Sonora, a 361 quilômetros de Campo Grande.

Fruto do relacionamento entre Pabilo e Laís, o menino de 2 anos não estava na casa no momento do crime. A princípio a informação é de que ele estaria na casa da avó. No entanto, após Laís ser morta e enterrada em uma fossa, nos fundos da casa, o menino teria passado momentos com o pai, até a chegada da polícia.

Morte por asfixia

Conforme informações da Polícia Civil e da Perícia, Laís foi morta com um mata-leão e golpes na cabeça. Depois, foi enrolada em um lençol e deixada em um quarto, enquanto uma pessoa teria ido até a casa e cavado a fossa de aproximadamente dois metros de profundidade para Pabilo. Ele pagou pelo serviço, mas não há indicativo de que a pessoa soubesse do crime.

De acordo com o site Idest, Pablo confessou que jogou a vítima na fossa, depois enterrou. Até que o crime fosse descoberto, ele permaneceu na casa com o filho de 2 anos.

Tentou mentir para a polícia

O delegado Murilo Jorge Vaz da Silva, responsável pelo caso, apontou que Pabilo entrou em contradição em vários momentos, mas autorizou a busca na residência. Quando os policiais começaram a cavar na terra mexida, nos fundos da casa, encontraram objetos da vítima como sapatos, celular e documentos.

Neste momento, o homem confessou que enterrou a vítima e apontou o local do corpo. Mesmo assim, ele negou o assassinato e ainda disse que estava na sala e, quando foi até o quarto, encontrou a esposa já sem vida. Ele disse ao delegado que enterrou a vítima por medo de que as pessoas não acreditassem em sua versão.

Ainda assim, os indícios apontam para o crime de feminicídio e ainda ocultação de cadáver.

Limpou o local do crime

Vizinhos chegaram a relatar que ouviram o suspeito limpando a casa durante toda a noite e também lavou manchas de sangue na casa com água sanitária. Ele também publicou mensagens na rede social da vítima, se passando por ela, depois quebrou o celular e tentou esconder.

De acordo com o delegado Murilo, na segunda-feira, Laís e o marido teriam tido uma discussão por ciúmes. A vítima já tinha registrado boletins de ocorrência contra o suspeito por violência doméstica.

Jornal Midiamax