Polícia

Após anos sendo estuprada, adolescente denuncia pais que a ‘vendiam’ em troca de pinga e churrasco

Mãe se omitiu e disse a filha, “um dia vai passar”

Thatiana Melo Publicado em 27/04/2021, às 11h19

None
(Ilustrativa)

Após anos sendo estuprada por ‘amigos’ de seu pai de 56 anos, uma adolescente de 16 anos denunciou os abusos que sofria desde que tinha 12 anos e morava junto com os pais em propriedades rurais, onde ele trabalhava.

Em relatos na denúncia contra os pais e também contra um gerente de fazenda, que pagava em espécie para poder estuprara menina, a vítima contou que o gerente fazia com que prestasse serviços domésticos de limpeza em sua residência, e por diversas vezes, durante vários anos e dias seguidos, aproveitava-se da situação para estuprá-la.

A menina ainda chegou a ser ameaçada de morte com uma arma pelo funcionário e patrão de seu pai na propriedade rural. O pai da garota ainda permitia que outros homens a estuprassem recebendo em troca dinheiro, pinga, churrascos, móveis para sua residência, entre outros benefícios.

Ainda de acordo com a denúncia, a mãe da menina sabia de tudo, mas nunca denunciou chegando a falar para a filha “um dia vai passar”. Já quando estava com 15 anos, em 2009, a vítima se mudou junto com a sua família para outra fazenda, onde também foi pressionada pelo pai a continuar fazendo programas sexuais, porém, negou-se o que gerou indignação de seu pai.

No ano seguinte, com medo de que os estupros continuassem contou a amigos sobre os abusos e procurou o Conselho Tutelar. O gerente de fazenda só acabou preso em março deste ano, e dias depois de sua prisão entrou com pedido de revogação da prisão preventiva, alegando que nunca se esquivou do processo, tendo não sido encontrado apenas por ser trabalhador rural, e que hoje mora em casa de propriedade da vítima, que cedeu o imóvel para ele, inclusive o auxiliando nos cuidados. O pedido foi negado pelos desembargadores.

Jornal Midiamax