Polícia

Após 10 anos, mulher morta com 30 facadas e encontrada em estrada de MS não foi identificada

Mais de dez anos depois, a mulher encontrada morta em uma estrada vicinal, que dá acesso à BR-060, região de Água Clara, a 193 quilômetros de Campo Grande, não foi identificada. O corpo foi enterrado como indigente e o assassino até hoje não foi identificado. Por coincidência, no mesmo período em que a mulher foi […]

Dayene Paz Publicado em 07/01/2021, às 13h22 - Atualizado às 17h01

Mulher foi assassinada com 30 facadas e enterrada como indigente. Imagem: BNC Notícias
Mulher foi assassinada com 30 facadas e enterrada como indigente. Imagem: BNC Notícias - Mulher foi assassinada com 30 facadas e enterrada como indigente. Imagem: BNC Notícias

Mais de dez anos depois, a mulher encontrada morta em uma estrada vicinal, que dá acesso à BR-060, região de Água Clara, a 193 quilômetros de Campo Grande, não foi identificada. O corpo foi enterrado como indigente e o assassino até hoje não foi identificado. Por coincidência, no mesmo período em que a mulher foi encontrada, o goleiro Bruno estava sendo preso pelo desaparecimento da namorada Elisa Samudio, que tem familiares em Mato Grosso do Sul.

O corpo foi localizado no dia 23 de outubro de 2010, em uma estrada vicinal distante aproximadamente 50 metros da rodovia. A Polícia Militar de Paraíso das Águas foi acionada para atender a ocorrência. Na época o local era jurisdição do município de Água Clara, mas devido à distância, a polícia de Paraíso das Águas que atendia a ocorrência.

Branca, com cabelos tingidos de loiro, sem tatuagens e aparentemente usava prótese de silicone nas mamas. A cena brutal chocou a equipe de policiais e da funerária responsável, informou o site local, BNC Notícias. O corpo estava somente com uma calcinha e as roupas espalhadas pelo local. Havia sinais de perfurações em várias partes, sendo ao todo, 30 facadas desferidas contra a mulher.

Também foram encontrados sinais de luta ou mesmo a participação de mais de uma pessoa no crime. Pegadas de número “38” foram juntadas ao inquérito conduzido pela Polícia Civil de Água Clara. A polícia chegou a receber informação de que um homem teria tomado banho em um banheiro ao lado de uma lanchonete no distrito de Bela Alvorada, à época distrito de Água Clara. No entanto, até hoje esse homem não foi identificado.

Após o procedimentos de praxe, o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Três Lagoas, distante 320 quilômetros do local, e sepultado como indigente no cemitério municipal de Água Clara, no dia 25 de outubro de 2010. Colhidas digitais, nem um registro em Mato Grosso do Sul foi encontrado para identificá-la.

No mesmo período em que a mulher foi localizada morta na estrada de MS, o goleiro Bruno estava sendo preso pelo desaparecimento da namorada Elisa Samudio, que têm familiares em Campo Grande. O local onde o corpo foi encontrado é rota entre Goiás e a capital sul-mato-grossense. (Com colaboração do site BNC Notícias)

Jornal Midiamax