Polícia

Amigos lamentam morte de Mikaill, delegado ‘raiz’ e profissional, que deixa filho de 3 anos

Colegas de profissão destacaram durante o velório o perfil bondoso do delegado e a dedicação ao filho

Thatiana Melo e Dayene Paz Publicado em 07/05/2021, às 09h41

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

Abalados com a partida do delegado de polícia, Mikaill Alessandro Gouveia Farias de 42 anos, amigos lamentam a sua morte se despedem do policial, que era considerado por muitos ‘raiz’, sempre dedicado a profissão e um excelente pai como também lembraram amigos e familiares. Cerca de 23 viaturas devem fazer o cortejo do corpo. 

Alessandro Pedroga dos Santos, investigador da 6º Delegacia de Polícia Civil falou sobre a simplicidade de Mikaill, do jeito humilde e apaixonado pela profissão. “Nosso dia a dia era muito bom, ele era sempre o primeiro a chegar e o último a sair. Tratava todos com simplicidade e tinha um bom coração”.

O colega de profissão, delegado Reginaldo Salomão, lembrou quando Mikaill ainda atuava na fronteira e sempre estava disposto a ajudar. “Era um delegado raiz, puxa fila”, disse. Ainda falou que nunca viu Mikaill sem um sorriso no rosto.

Muito emocionado, o pai de Mikaill, Francisco Faria agradeceu a acolhida que o filho teve em Mato Grosso do Sul, quando veio para o Estado após passar no concurso público, “Era o sonho dele ser delegado, e ele conseguiu”, disse.

“Era bondoso, caridoso, e o filho de 3 anos era o amor da vida dele, que agora vai proteger e cuidar do céu’. O pai ainda falou que “o corpo se foi, mas o espirito sempre estará conosco”, finalizou.

Keila Flores de 39 anos escrivã, “Ele era parceiro, ajudava a gente, fazia oitiva com a gente, fazia até B.O, ele era super simples, ia trabalhar de camiseta e tênis, fazia um trabalho maravilhoso”.

O Delegado Geral da DGPC, Adriano Garcia lembrou da empolgação de Mikaill ao assumir a titularidade da nova delegacia – Deleagro. “Um delegado jovem, com muita energia, iniciou em Amambai, passou por Ponta Porã, veio pra Campo Grande e por onde passou deixou muitos amigos, fez um trabalho exemplar e em reconhecimento a isso havíamos o designado para a nova delegacia de abigeato. Eu perco um amigo e a polícia perde um grande delegado”, relatou.

Jornal Midiamax