Polícia

Acusado de matar e enterrar mulher em fossa em Campo Grande é condenado a 17 anos

Crime aconteceu na região do Bairro Morada Verde

Renata Portela Publicado em 03/09/2021, às 14h57

Edson foi a julgamento nesta sexta-feira
Edson foi a julgamento nesta sexta-feira - (Divulgação, TJMS)

Nesta sexta-feira (3), foi a júri popular Edson Firmo Camargo, de 39 anos, o ‘Hulk’, acusado do feminicídio de Graziele Kelly Ferreira Gomes, 39 anos. A vítima foi assassinada em maio de 2020 e teve o corpo deixado em uma fossa desativada no Bairro Morada Verde, em Campo Grande.

O Conselho de Sentença decidiu por condenar o réu pelo feminicídio e ocultação de cadáver. Conforme a sentença, do juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, o réu cumprirá ao todo 17 anos e 6 meses de reclusão, mais 15 dias-multa, além de 1 ano de detenção e 26 dias-multa pelo crime de fraude processual.

Conforme a sentença, foi definida pena de 16 anos pelo feminicídio e 1 ano e meio pela ocultação de cadáver. ‘Hulk’, que está preso desde maio de 2020, cumprirá a pena em regime fechado.

Relembre o caso

Graziele foi encontrada morta na manhã do dia 1º de maio de 2020, em uma fossa desativada no Bairro Morada Verde, em Campo Grande. A vítima foi reconhecida por familiares e, ao longo da tarde, a Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher), prendeu três pessoas.

Os policiais chegaram até a casa após denúncia e encontraram uma fossa de aproximadamente um metro e meio desativada. No buraco, o corpo estava enrolado em um lençol e inclusive um carrinho de mão usado para jogar a vítima também foi apreendido.

Três pessoas foram detidas: uma travesti, com passagens pela polícia por tráfico, que morava na casa onde o corpo foi localizado; um homem identificado apenas como ‘Alemão’, que teria ajudado enterrar o corpo e uma mulher, que morava na residência ao lado pertencente a “Hulk”, onde o crime pode ter sido executado.

A travesti afirmou à polícia que viu Alemão com Edson, jogando o corpo na fossa de sua residência durante a madrugada. A polícia então encontrou, na casa ao lado, de “Hulk”, onde ele morava com outra mulher, marcas de sangue e um pé de cabra.

A mulher que mora com ele confessou que limpou marcas de sangue na residência. A suspeita é de que Edson tenha matado Graziele em sua residência com o pé de cabra e junto com Alemão, enterraram o corpo na fossa desativada na casa da travesti. Ele foi preso dias depois por equipe do Batalhão de Choque, no Nova Lima.

Jornal Midiamax