Polícia

Traficante dona de casa de prostituição que aliciava adolescentes é presa

Mulher de 40 anos foi presa por suspeita de tráfico de drogas, por favorecimento à prostituição e aliciamento de menores na cidade de Aquidauana, a 135 quilômetros de Campo Grande. A ação realizada pela DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) e SIG (Setor de Investigações Gerais) da 1ª Delegacia  localizou drogas, munições e preservativos, bem […]

Renan Nucci Publicado em 17/07/2020, às 17h57

Resultado da operação policial. Foto: Divulgação
Resultado da operação policial. Foto: Divulgação - Resultado da operação policial. Foto: Divulgação

Mulher de 40 anos foi presa por suspeita de tráfico de drogas, por favorecimento à prostituição e aliciamento de menores na cidade de Aquidauana, a 135 quilômetros de Campo Grande. A ação realizada pela DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) e SIG (Setor de Investigações Gerais) da 1ª Delegacia  localizou drogas, munições e preservativos, bem como constatou que vários quartos eram usado nos programas.

Conforme apurado, os policiais receberam denúncias de populares que reclamavam de perturbação de sossego no estabelecimento e da presença de pessoas suspeitas. Diante dos fatos, as equipes foram ao local e se depararam com a proprietária bebendo cerveja com dois rapazes, dos quais um deles era um adolescente de 16 anos. Por este motivo, a mulher já foi presa em flagrante. 

Os policiais então fizeram uma busca pelo imóvel, encontrado porções de cocaína, pasta base de cocaína, celulares, dinheiro trocado, caixas de camisinhas e quatro munições calibre 32. Outra mulheres que estavam por lá confirmaram que se prostituíam no local e que incrementavam a renda com as bebidas alcoólicas que vendiam a clientes. A traficante admitiu que só era pago quem fazia programa.

Foram localizados ainda diversos documentos originais como identidade, certidão de nascimento, carteira de trabalho e cartão do SUS (Sistema Único de Saúde). “É bastante comum usuários deixarem seus documentos nos pontos de droga como forma de garantia de pagamento posterior. A acusada é reincidente estando inclusive em liberdade provisória”, afirmou a Polícia Civil em nota à imprensa.

Jornal Midiamax