Polícia

Sem saber de morte, juiz libera motorista bêbado que atropelou pedestre na calçada

Em audiência de custódia na manhã desta terça-feira (14), rapaz de 22 anos que atropelou Paulício Antônio dos Santos Bandeira, de 50 anos, teve liberdade provisória concedida. Foi arbitrada a ele fiança no valor de um salário mínimo, mas a morte da vítima não foi informada durante a audiência. Conforme apurado pelo Jornal Midiamax com […]

Renata Portela Publicado em 14/07/2020, às 11h15

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Imagem ilustrativa

Em audiência de custódia na manhã desta terça-feira (14), rapaz de 22 anos que atropelou Paulício Antônio dos Santos Bandeira, de 50 anos, teve liberdade provisória concedida. Foi arbitrada a ele fiança no valor de um salário mínimo, mas a morte da vítima não foi informada durante a audiência.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax com a assessoria da Santa Casa de Campo Grande, Paulício morreu às 12h38 de segunda-feira no hospital. A informação, no entanto, não chegou à audiência de custódia e com isso o rapaz acabou liberado e ainda respondendo por lesão corporal culposa, quando não há intenção.

Segundo o registro policial, o acidente foi por volta das 21 horas de domingo (12). Na ocasião, o rapaz conduzia Onix quando atropelou Paulício, que andava na calçada pela Rua Luiz Gustavo Ramos de Arruda, no Jardim Los Angeles.

Em seguida, uma viatura do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que passava pelo local fez o socorro da vítima, que deu entrada na área vermelha do pronto-socorro na Santa Casa. Em estado gravíssimo, o homem teve uma parada cardiorrespiratória e morreu no início da tarde de segunda-feira.

O fato, no entanto, não chegou ao magistrado, que ainda na decisão afirmou que do acidente não resultou consequências mais graves. Assim, a morte de Paulício não teria sido apurada ou informada pela acusação e apesar de preso em flagrante por dirigir embriagado e pela lesão corporal, o rapaz agora poderá responder em liberdade.

Jornal Midiamax