Polícia

Segurança Pública confirma dois servidores com coronavírus e investiga quatro casos em MS

Dois servidores da Segurança Pública foram contaminados pelo novo coronavírus (covid-19) em Mato Grosso do Sul, conforme informou a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) em nota à imprensa nesta segunda-feira (11). Quatro casos estão sendo investigados e 13 policiais militares foram afastados preventivamente. Conforme a nota, até esta segunda, dois casos […]

Dayene Paz Publicado em 11/05/2020, às 17h18 - Atualizado às 18h59

Foto: Sejusp
Foto: Sejusp - Foto: Sejusp

Dois servidores da Segurança Pública foram contaminados pelo novo coronavírus (covid-19) em Mato Grosso do Sul, conforme informou a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) em nota à imprensa nesta segunda-feira (11). Quatro casos estão sendo investigados e 13 policiais militares foram afastados preventivamente.

Conforme a nota, até esta segunda, dois casos de covid-19 foram confirmados: um policial civil que teve contato com um preso infectado e um servidor da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário). Este servidor contraiu a doença quando estava de férias, procurou atendimento médico e não chegou a ir para as dependências da Agepen.

Há também quatro casos sendo investigados: um policial civil, dois policiais militares e um bombeiro militar. 13 policiais militares foram afastados das atividades: três preventivamente e oito por pertencerem ao grupo de risco – estes oito cumprem expediente por teletrabalho.

Delegacias

De acordo com o presidente do Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), Giancarlo Miranda, o atendimento nas delegacias está seguindo um protocolo restrito – já seguido por outros estados -, para evitar a contaminação dos servidores e a consequente disseminação da doença.

No caso da delegacia de Miranda, a 203 quilômetros de Campo Grande, onde um preso de São Paulo teve resultado positivo para coronavírus, foi feita uma intensa desinfecção da unidade, com produtos específicos para eliminação de micro-organismos. “Também evitamos ficar com presos na delegacia”, complementou o presidente.

Jornal Midiamax