Polícia

Polícia apreende armamento em fazenda onde cômodos estavam ensanguentados

Ação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Militar nesta terça-feira (21), resultou na prisão de um homem de 62 anos em fazenda localizada na região da cabeceira do Apa, na zona rural do município de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande.  Ele estava com dois revólveres, duas espingardas e várias munições. […]

Renan Nucci Publicado em 21/01/2020, às 13h39 - Atualizado às 13h47

Armas apreendidas pela polícia em fazenda na fronteira. Foto: Divulgação
Armas apreendidas pela polícia em fazenda na fronteira. Foto: Divulgação - Armas apreendidas pela polícia em fazenda na fronteira. Foto: Divulgação

Ação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Militar nesta terça-feira (21), resultou na prisão de um homem de 62 anos em fazenda localizada na região da cabeceira do Apa, na zona rural do município de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. 

Ele estava com dois revólveres, duas espingardas e várias munições. Chamou atenção o fato de o local estar com várias manchas de sangue, mas nem o suspeito e nem a esposa dele souberam explicar o que houve no imóvel.

Conforme boletim de ocorrência, o SIG (Setor de Investigações Gerais) da 1ª Delegacia de Polícia do município foi informada pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira), que na fazenda aparentemente havia ocorrido um homicídio. 

O SIG foi ao local juntamente com policiais civis da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos) e do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo Banco, Assaltos e Sequestros), que reforçam a segurança na fronteira desde a fuga em massa do PCC (Primeiro Comando da Capital) em presídio na cidade Paraguai de Pedro Juan Caballero.

Chegando à fazenda, os policiais se encontraram com o DOF e com o Batalhão de Choque da Polícia Militar. O suspeito estava acompanhado da esposa e disse que sua residência havia sido invadida por um ou mais desconhecidos, e que por lá havia vestígios de sangue. 

Durante buscas,  as equipes encontraram um revólver calibre 38 e uma espingarda calibre 28. O revólver estava com uma munição deflagrada. O homem afirmou que as armas seriam de sua propriedade e que ele havia trazido de outro imóvel. 

Em outro cômodo, as equipes encontraram mais um revólver, calibre 32, e uma espingarda calibre 38/357, além de munições nos calibres 22, 32, 28, 38, 9 milímetros e 357. Em seguida, os policiais acharam uma camiseta ensanguentada pendurada do lado de fora da casa.

Na residência, havia sangue no chão da varanda, quarto, cozinha e sala, sendo que no quarto havia grande quantidade de sangue envolto em três peças de roupa. Os moradores não souberam explicar a origem dos vestígios e acreditam que o local foi invadido. 

Eles disseram que a fazenda está em processo de divisão de herança e que outras pessoas podem ter passado pelo local. O caso é investigado e o homem vai responder pelo crime de posse irregular de arma de fogo.

Jornal Midiamax