Polícia

Pastora da igreja derruba irmã durante oração e acaba denunciada por agressão em MS

Uma mulher procurou a polícia após ser agredida pela pastora da igreja evangélica que frequenta durante uma oração em Mato Grosso do Sul.

Renata Portela Publicado em 16/06/2020, às 07h31 - Atualizado às 14h39

Fiel procurou a polícia após ser jogada no chão durante oração (Ilustração, Web)
Fiel procurou a polícia após ser jogada no chão durante oração (Ilustração, Web) - Fiel procurou a polícia após ser jogada no chão durante oração (Ilustração, Web)

Na segunda-feira (15), moradora em Amambai, cidade distante 352 quilômetros de Campo Grande, procurou a polícia para denunciar a pastora da igreja. A vítima contou que foi empurrada no chão pela mulher durante oração.

Segundo relato da mulher, ela foi até a igreja no fim de semana e teria sido agredida pela pastora. Ela contou que durante as orações, a pastora colocou uma mão na testa e outra na boca da vítima e em seguida a empurrou com força.

Pastora da igreja e etiqueta no culto

Com isso, a vítima caiu sobre algumas cadeiras que estavam no local. A mulher explicou que é comum os pastores colocarem as mãos na cabeça dos fiéis durante as orações, mas não empurrar. Ela procurou a polícia e denunciou o caso de lesão corporal dolosa, quando há intenção de ferir.

Apesar de haver diversas ramificações protestantes, a maioria compartilha etiqueta para os cultos com elementos básicos semelhantes. No entanto, o comportamento durante as orações, por exemplo, varia de acordo com a denominação.

Enquanto para uns é melhor orar com discrição, grupos pentecostais preferem se expressar nas igrejas durante as orações com exclamações em voz alta.

Tá por dentro? Avise o Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação interessante que acha importante o público saber, fale direto com jornalistas do Jornal Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax