Polícia

Motorista envolvido em acidente que matou fonoaudiólogo é preso

O motorista do caminhão envolvido no acidente que resultou na morte do fonoaudiólogo Rodrigo Queiroz das Chagas, na BR-262, em Anastácio, a 134 quilômetros de Campo Grande, foi preso pela Polícia Civil. Ele teria deixado de tentar prestar socorro à vítima que morreu presa às ferragens na tarde de terça-feira (06). De acordo com nota […]

Renan Nucci Publicado em 07/10/2020, às 13h36

Acidente envolvendo quatro veículos ocorreu na tarde de terça-feira (06). Foto: Jornal O Pantaneiro
Acidente envolvendo quatro veículos ocorreu na tarde de terça-feira (06). Foto: Jornal O Pantaneiro - Acidente envolvendo quatro veículos ocorreu na tarde de terça-feira (06). Foto: Jornal O Pantaneiro

O motorista do caminhão envolvido no acidente que resultou na morte do fonoaudiólogo Rodrigo Queiroz das Chagas, na BR-262, em Anastácio, a 134 quilômetros de Campo Grande, foi preso pela Polícia Civil. Ele teria deixado de tentar prestar socorro à vítima que morreu presa às ferragens na tarde de terça-feira (06).

De acordo com nota divulgada pela Polícia Civil, após análise da dinâmica dos fatos, bem como oitivas com testemunhas, foi constatado que ele não se preocupou em prestar socorro imediato e vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Além disso, indícios apontam que ele teria invadido a pista contrária, resultando na colisão. Conforme apurado, a vítima seguia sentido de Anastácio a Campo Grande, atrás de dois caminhões. O suposto autor estava no sentido oposto, quando invadiu a pista  contrária e acertou a lateral dos dois caminhões.

Em seguida, bateu de frente com o automóvel UP conduzido por Rodrigo, que morreu no local. Em entrevista no local, o suspeito disse que não se lembrava do acidente e que tinha memória apenas da primeira colisão. 

“A Polícia Civil alerta para os motoristas que fazem uso das rodovias que o número de acidentes vem aumentando de maneira exponencial, ceifando muitas vidas, em razão de imprudência e negligência dos motoristas, o que caracteriza crime perante a Legislação vigente”, disse a polícia.

Jornal Midiamax