Polícia

Ladrão ferido em assalto a mercado era um dos fugitivos do PCC de presídio a fronteira

Um dos assaltantes feridos em um assalto na noite desta terça-feira (25), em Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande, era um dos membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), que fugiu em janeiro junto de mais 75 presos de uma penitenciária de Pedro Juan Caballero. Ruben Gustavo Nuñes Brites foi ferido […]

Thatiana Melo Publicado em 26/08/2020, às 06h06 - Atualizado às 07h14

None

Um dos assaltantes feridos em um assalto na noite desta terça-feira (25), em Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande, era um dos membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), que fugiu em janeiro junto de mais 75 presos de uma penitenciária de Pedro Juan Caballero.

Ruben Gustavo Nuñes Brites foi ferido quando estava junto do seu comparsa assaltando um mercado na cidade. Um homem que estava no açougue teria feito disparos contra Ruben que tentou fugir, mas acabou caído próximo ao mercado e foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros, que o levou até o hospital onde está internado.

O outro assaltante identificado como Peter acabou morrendo. O assalto aconteceu por volta das 20 horas desta terça (25), e segundo testemunhas relataram ao site Ponta Porã News, os bandidos chegaram ao local em uma motocicleta sem placas e armados. O bandido que morreu teria rendida uma mulher e apontou a arma para o rosto dela.

Ele pegou da vítima um celular e depois foi para o caixa de onde furtou R$ 349. Já Ruben agrediu um cliente do mercado e depois se dirigiu até um homem de 31 anos que estava no açougue e apontou a arma para ele e puxou o gatilho pelo menos três vezes, mas a arma não disparou.

Neste momento, o homem teria sacado um revolver e atirado contra Ruben que tentou correr, mas caiu ferido na porta do estabelecimento. Quando viu o parceiro ferido Peter passou a atirar, mas não feriu ninguém. O home revidou aos tiros e acabou acertando Peter que mesmo ferido pegou a moto usada no assalto e fugiu, mas morreu quando tentou buscar ajuda em uma residência nas proximidades do mercado.

Antes de ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros Ruben chegou a ser agredido por populares. O homem que reagiu ao assalto foi indiciado na Polícia Civil por porte ilegal de arma de fogo, já que não tinha registro do revolver que usou para atirar nos marginais. Ele foi ouvido e liberado e teria agido em legitima defesa.

Jornal Midiamax