Polícia

VÍDEO: Após confusão com PM, Guarda afirma que abordava suspeitos de furtar fios

Imagens registradas por um tenente-coronel da Polícia Militar mostram a confusão com a GCM (Guarda Civil Municipal) na noite do último sábado (14), em Campo Grande. O tenente, que interferiu em uma abordagem, chegou a dar voz de prisão aos guardas por abuso de poder, ameaça, usurpação da função pública e constrangimento ilegal. A confusão […]

Dayene Paz Publicado em 18/09/2019, às 15h19 - Atualizado em 19/09/2019, às 09h37

Confusão terminou na delegacia (Foto: Divulgação)
Confusão terminou na delegacia (Foto: Divulgação) - Confusão terminou na delegacia (Foto: Divulgação)

Imagens registradas por um tenente-coronel da Polícia Militar mostram a confusão com a GCM (Guarda Civil Municipal) na noite do último sábado (14), em Campo Grande. O tenente, que interferiu em uma abordagem, chegou a dar voz de prisão aos guardas por abuso de poder, ameaça, usurpação da função pública e constrangimento ilegal. A confusão terminou na delegacia de Polícia Civil. No boletim de ocorrência, a GCM afirmou que abordava dois suspeitos de furtar fios de cobre na região central.

O tenente estava em um carro descaracterizado e usando roupa de civil, pois segundo ele, já havia denúncia de que autoridades estariam agindo com ameaça na área central. Ele teria descido do carro, na avenida Afonso Pena, esquina com a 13 de maio, quando abordou os dois suspeitos, segundos antes abordados pela Guarda Municipal, dando início a confusão.

Com o celular na mão e filmando toda a ação, o tenente da PM questiona os dois rapazes sobre a ação da GCM, quando eles afirmam que foram ameaçados pelos guardas e não teriam cometido crime algum.

Segundo o relato da PM, na viatura da GCM estavam três guardas que abordaram os dois homens. O tenente durante o vídeo questiona o motivo da Guarda segurar os dois rapazes por 15 minutos, já que eles não eram suspeitos de crime. Um dos supervisores da equipe da Guarda respondeu ao tenente que eles poderiam fazer a abordagem, sendo que se identificou como comandante da área.

O tenente afirmou, conforme boletim de ocorrência, que os guardas ameaçavam os homens dizendo que se permanecessem na área central “dariam um tiro na perna deles” e que “a primeira abordagem seria de boa e a segunda eles iriam apanhar”, ordenando que não ficassem cuidando carros e nem pedindo dinheiro.

A PM também afirma que o guarda pegou sua arma no “intuito de intimidar as vítimas”. Nesse momento, o tenente da voz de prisão aos guardas. Minutos depois, conforme boletim de ocorrência, equipes da Guarda Municipal chegam em várias viaturas “freando bruscamente e desrespeitando a sinalização de trânsito”.

Outro lado

A GCM informou, em boletim de ocorrência, que as equipes realizavam patrulhamento contra o furto de fios de cobre na região e também visando identificar autores que estavam depredando as obras da rua 14 de Julho, momento em que visualizaram os dois suspeitos no canteiro central da Afonso Pena.

De acordo com a Guarda, os dois rapazes tinham características semelhantes das repassadas por populares. Ao verem a viatura, eles teriam se distanciado e levantaram suspeita, quando então foram abordados. A dupla afirmou que tinha passagem pela polícia por roubo e aguardou a checagem no sistema por 10 minutos.

Ao ser constatado que os dois tinham ficha criminal, mas não possuíam mandado de prisão em aberto, eles foram liberados. A GCM afirma que nesse momento o tenente atravessou a rua correndo e abordou a dupla. Segundos depois, deu ordem de prisão aos guardas e chegou a tirar o celular do supervisor que se preparava para acionar um superior.

Ninguém foi preso. Guarda Municipal e PM irão investigar o caso.

Jornal Midiamax