Polícia

Policial aposentado é condenado a 13 anos por matar jovem em Campo Grande

O policial civil aposentado Luiz Carlos Ortiz, foi condenado a 13 anos de prisão em regime fechado, pela morte de Marcelo Augusto Matsubara de 24 anos, assassinado a tiros, em outubro de 2015. O policial foi absolvido do crime de porte ilegal de arma de fogo. Em julgamento nesta quinta-feira (4), Ortiz foi condenado pelo […]

Dayene Paz Publicado em 04/04/2019, às 19h00 - Atualizado às 19h03

Foto: Minamar Junior.
Foto: Minamar Junior. - Foto: Minamar Junior.

O policial civil aposentado Luiz Carlos Ortiz, foi condenado a 13 anos de prisão em regime fechado, pela morte de Marcelo Augusto Matsubara de 24 anos, assassinado a tiros, em outubro de 2015. O policial foi absolvido do crime de porte ilegal de arma de fogo.

Em julgamento nesta quinta-feira (4), Ortiz foi condenado pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil, com recurso que dificultou a defesa da vítima. Já que respondia em liberdade, Ortiz deve permanecer solto até a finalização do processo judicial.

A defesa pedia a desclassificação do homicídio para outro delito e afastamento das qualificadoras. Já o Ministério Público sustentou a condenação nos termos da pronúncia, em audiência de julgamento presidida pelo juiz Carlos Alberto Garcete, da 1ª Vara do Tribunal do Juri.

Dia do crime

O amigo de Marcelo que estava com ele no dia do crime falou que os dois estavam ‘chapados’ depois de usarem muita droga, e que estavam voltando de uma conveniência, quando o policial aposentado desceu do carro com a arma na mão. Assustado, ele correu deixando a vítima para trás.

Ortiz teria desconfiado de Marcelo e outra pessoa, que estavam conversando na rua 13 de junho, no bairro São Francisco. Segundo ele, os dois estavam observando a residência de sua mãe, que mora na mesma rua.

Ele decidiu realizar a abordagem aos indivíduos e parou seu carro em frente aos dois. Um dos dois homens parados na rua teria intimidado o policial, que desceu do carro, quando, segundo ele, sacou a arma porque a dupla foi para cima dele.

O policial disse que um dos homens fugiu, enquanto o outro, Marcelo, teria partido para cima dele. Ortiz relatou que Marcelo tentou tirar a arma de sua mão, quando acidentalmente ocorreu o disparo, atingindo e levando a morte da vítima. O policial estava com a filha no momento do fato.

Jornal Midiamax