Polícia

Nota Zero: policiais federais deixam SED com malotes de documentos apreendidos

Funcionários da SED (Secretaria Estadual de Educação) foram proibidos inicialmente de entrar no prédio da secretaria, na manhã desta quarta-feira (8), durante a deflagração da Operação Nota Zero pela Polícia Federal. Tempo depois foram autorizados a entrar, mas apenas no piso inferior. Policiais federais estavam no prédio e de lá saíram com malotes, sem falar […]

Thatiana Melo Publicado em 08/05/2019, às 08h07 - Atualizado às 11h50

Servidores estaduais. (Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)
Servidores estaduais. (Marcos Ermínio, Jornal Midiamax) - Servidores estaduais. (Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)

Funcionários da SED (Secretaria Estadual de Educação) Nota Zero: policiais federais deixam SED com malotes de documentos apreendidosforam proibidos inicialmente de entrar no prédio da secretaria, na manhã desta quarta-feira (8), durante a deflagração da Operação Nota Zero pela Polícia Federal. Tempo depois foram autorizados a entrar, mas apenas no piso inferior.

Policiais federais estavam no prédio e de lá saíram com malotes, sem falar com a imprensa. A procuradora geral do Estado, Fabíola Rahim Marquett, também chegou ao prédio da SED, onde são feitas buscas atrás de documentos.

Na manhã desta quarta (8), 12 mandados de busca e apreensão são cumpridos pelos policiais, como também por agentes da CGU (Controladoria Geral da União). A investigação apurou fraudes em contratos firmados pela SED e empresas de construção civil, com provas de crimes de corrução passiva e ativa, peculato e organização criminosa.

Foi descoberto a existência de um grupo de empresas previamente escolhidas para vencer as licitações. Foi constatado a prática ilícita envolvendo oito processos licitatórios abertos pela SED: uma Concorrência no valor de R$ 2.285.941,45 e outras sete Tomadas de Preços, que totalizam R$ 7.347.785,17.

Jornal Midiamax