Polícia

PMA fiscaliza 15 embarcações e aprende petrechos ilegais em afluentes e no rio Taquari

Policiais Militares Ambientais de Coxim realizam fiscalização preventiva, desde ontem pela manhã e hoje (29) nos rios Coxim, Taquari e afluentes, no sentido de prevenir a pesca predatória. Ontem (28) à noite, enquanto passavam com motor desligado no rio Taquari, nas proximidades da foz do córrego da onça (afluente), para surpreender pescadores, perceberam movimentos. Quando […]

Diego Alves Publicado em 29/04/2019, às 20h21

Assessoria
Assessoria - Assessoria

Policiais Militares Ambientais de Coxim realizam fiscalização preventiva, desde ontem pela manhã e hoje (29) nos rios Coxim, Taquari e afluentes, no sentido de prevenir a pesca predatória. Ontem (28) à noite, enquanto passavam com motor desligado no rio Taquari, nas proximidades da foz do córrego da onça (afluente), para surpreender pescadores, perceberam movimentos. Quando ligaram luzes e foram ao local, encontraram uma rede de pesca no leito do córrego.

Os pescadores que praticavam a pesca predatória fugiram pela mata na escuridão e não foram capturados. A rede foi retirada e apreendida. Um peixe da espécie jurupoca que estava capturado e vivo foi solto no córrego. Durante os trabalhos, 15 embarcações foram fiscalizadas e 43 anzóis de galho (petrechos proibidos) que estavam armados nos rios foram cortados e apreendidos.

A PMA continuará em fiscalização preventiva, fundamental para evitar a depredação dos cardumes, especialmente com uso desses tipos de petrechos ilegais que possuem alto poder de captura. Se identificados, os pescadores responderão por crime ambiental de pesca predatória. A pena para este crime é de um a três anos de detenção. Há também previsão de multa administrativa de R$ 700,00 a R$ 100.000,00.

Jornal Midiamax