Polícia

Mortas carbonizadas, pacientes estavam com as filhas e voltavam de tratamento médico

As quatro pessoas mortas carbonizadas em um acidente na MS-395 eram duas pacientes e suas filhas, que voltaram de um tratamento médico em Três Lagoas, a 338 km da Capital. Moradoras da cidade de Bataguassu, a 335 km de Campo Grande, as pacientes saíram da cidade para fazer tratamento de hemodiálise e oncologia. As quatro […]

Mylena Rocha Publicado em 29/06/2019, às 07h43 - Atualizado às 08h44

Foto: Cenário MS
Foto: Cenário MS - Foto: Cenário MS

As quatro pessoas mortas carbonizadas em um acidente na MS-395 eram duas pacientes e suas filhas, que voltaram de um tratamento médico em Três Lagoas, a 338 km da Capital. Moradoras da cidade de Bataguassu, a 335 km de Campo Grande, as pacientes saíram da cidade para fazer tratamento de hemodiálise e oncologia.

As quatro mulheres morreram carbonizadas em um acidente na MS-395 entre Brasilândia e Bataguassu na noite desta sexta-feira (28). As quatro vítimas eram passageiras de uma van modelo Mercedes-Benz Sprinter da secretaria de saúde de Bataguassu, que colidiu com a traseira de um caminhão carregado de ração animal.

Os dois veículos transitavam no mesmo sentido, Três Lagoas a Bataguassu, quando, logo após uma descida, a van chocou-se com a traseira do caminhão. De acordo com o site Perfil News, o motorista da secretaria de saúde foi arremessado para fora do carro e sofreu ferimentos. Ele tentou retirar as mulheres do carro, mas não conseguiu e o carro pegou fogo.

Ainda nesta sexta-feira (28), a Prefeitura de Bataguassu, emitiu uma nota de solidariedade às famílias das vítimas. Na nota, a Prefeitura aponta que o caminhão estava parado na pista e sem sinalização e que o motorista da van está hospitalizado.

“A Prefeitura informa que desde que a informação do ocorrido chegou a conhecimento da administração municipal, todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas e se solidariza com os familiares das vítimas, se colocando à inteira disposição para prestar toda assistência necessária”.

Jornal Midiamax