Polícia

Homem usou pedaço de pau para desfigurar esposa por traição

Após audiência de custódia, o indígena de 23 anos que desfigurou o rosto da esposa após espancá-la, permanece preso. A vítima de 32 anos continua internada, estável, após ser socorrida em estado grave. Ela teve um pedaço da língua cortada pelo marido que suspeitava de traição. A delegada de Amambai, Larissa Franco Serpa explicou que […]

Dayene Paz Publicado em 03/06/2019, às 15h32 - Atualizado às 18h38

Foto: Divulgação.
Foto: Divulgação. - Foto: Divulgação.

Após audiência de custódia, o indígena de 23 anos que desfigurou o rosto da esposa após espancá-la, permanece preso. A vítima de 32 anos continua internada, estável, após ser socorrida em estado grave. Ela teve um pedaço da língua cortada pelo marido que suspeitava de traição.

A delegada de Amambai, Larissa Franco Serpa explicou que o casal já tinha histórico de violência. “Eles já tinham histórico de violência doméstica, mas ela nunca procurou a delegacia para registrar boletim de ocorrência”, informou Larissa.

Ainda, de acordo com a polícia, as investigações continuam. “Vamos ouvir as pessoas que estavam no momento e até o homem, um primo que estaria no local, com quem ele acreditava que ela teria o traído”, complementou a delegada. O pedaço de madeira que ele usou para cometer as agressões não foi localizado.

O crime aconteceu no dia 29 de maio em uma aldeia da cidade de Amambai – a 351 km de Campo Grande.Conforme as informações do boletim de ocorrência, a liderança da aldeia foi procurada por um morador, que dizia que encontrou a mulher possivelmente morta. No local, a liderança encontrou a vítima sentada, desorientada, bastante machucada no rosto e com diversos hematomas.

Ainda, de acordo com as informações, a indígena mal conseguia falar porque teve parte da língua arrancada. Conforme testemunhas, o suspeito estava embriagado quando cometeu as agressões e disse que foi traído pela esposa para justificar o crime, conforme a ocorrência. Ele responderá por homicídio qualificado pelo feminicídio.

Jornal Midiamax