Polícia

Homem que atirou e atingiu 4 em suposta briga de torcida é policial militar

O homem que atirou e atingiu quatro pessoas durante uma suposta briga de torcida na madrugada desta segunda-feira (16), em Campo Grande, é policial militar e deve se apresentar nesta quarta-feira (18) na 5ª Delegacia de Polícia Civil da Capital. Na ocasião, o suspeito deve prestar esclarecimentos sobre os fatos. A briga generalizada aconteceu em […]

Dayene Paz Publicado em 17/12/2019, às 17h14 - Atualizado às 17h23

Suspeito deve se apresentar na 5ª DP / Foto: Arquivo, Midiamax
Suspeito deve se apresentar na 5ª DP / Foto: Arquivo, Midiamax - Suspeito deve se apresentar na 5ª DP / Foto: Arquivo, Midiamax

O homem que atirou e atingiu quatro pessoas durante uma suposta briga de torcida na madrugada desta segunda-feira (16), em Campo Grande, é policial militar e deve se apresentar nesta quarta-feira (18) na 5ª Delegacia de Polícia Civil da Capital. Na ocasião, o suspeito deve prestar esclarecimentos sobre os fatos.

A briga generalizada aconteceu em uma conveniência na Vila Piratininga, em Campo Grande, e terminou com quatro homens, com idades entre 24 e 36 anos, feridos a tiros. Eles foram atingidos nas pernas e pés.

As vítimas contaram que são membros da Força Jovem, torcida organizada do Vasco da Gama e estavam na conveniência quando brigaram com integrantes do Pavilhão 9, torcida do Corinthians. Durante a briga, um homem que aparentava ter aproximadamente 40 anos e estava acompanhado de duas mulheres fez os disparos.

O suspeito foi embora em um veículo preto e equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) foram acionadas. Estojos de munição calibre .40 foram apreendidos no local.

A diretoria do Pavilhão 9 publicou uma nota em suas redes sociais, onde afirma que repudia atitudes como essa e que aguarda a investigação para saber se membros da torcida organizada do Corinthians estão entre os autores. “Repudiamos atitudes como essa, não somos e nunca seremos coniventes com algo desse tipo e, por isso, as medidas cabíveis serão tomadas. Caso os autores desse fato sejam realmente sócios da torcida, serão punidos com a expulsão da torcida, conforme determina nosso estatuto social”, diz a nota.

Jornal Midiamax