Polícia

Funcionário de mercado desviou R$ 400 mil em carnes nobres

Funcionário de um mercado na avenida Guaicurus, em Campo Grande, desviou cerca de R$ 400 mil, em quatro meses, com um esquema de furto de carnes. Ele e outros dois rapazes que participaram do esquema foram presos em flagrante nesta terça-feira (2). De acordo com as informações, o proprietário do estabelecimento desconfiou que as carnes […]

Dayene Paz Publicado em 02/04/2019, às 18h24 - Atualizado em 03/04/2019, às 12h42

Foto: Divulgação Polícia Civil.
Foto: Divulgação Polícia Civil. - Foto: Divulgação Polícia Civil.

Funcionário de um mercado na avenida Guaicurus, em Campo Grande, desviou cerca de R$ 400 mil, em quatro meses, com um esquema de furto de carnes. Ele e outros dois rapazes que participaram do esquema foram presos em flagrante nesta terça-feira (2).

De acordo com as informações, o proprietário do estabelecimento desconfiou que as carnes estavam sumindo e procurou à polícia. “De posse de algumas informações, iniciamos a investigação com várias equipes hoje e conseguimos descobrir como o trio agia, inclusive quando pararam na casa do funcionário para deixar a carga”, informou o delegado Ricardo Meirelles.

O funcionário era encarregado do açougue e agia com ajuda de outros dois homens, trabalhadores de uma empresa que faz a coleta de ossos. “Eles colocavam parte da carne em meio aos ossos na hora de fazer a coleta”, revelou Meirelles. Depois de camuflada a carne nos ossos, a carga era levada para a casa do funcionário, onde ele mantinha um tipo de ‘açougue improvisado’ e revendia os produtos. Outra parte era dividida entre os funcionários da empresa de coleta de ossos.

Por dia, o trio desviava cerca de 50 kg de carnes bovinas e suínas. O prejuízo chegava a R$ 100 mil por mês, de acordo com a polícia. “Eram na maior parte carnes nobres, como picanha, contrafilé e maminha que eles desviavam há cerca de quatro meses”, ressaltou o delegado.

O trio foi indiciado por associação criminosa, também por furto qualificado pelo concurso de pessoas e abuso de confiança. A Polícia Civil vai investigar agora se os outros dois presos que atuavam fora do mercado, já mantinham esse esquema em outros mercados. Nesta quarta-feira (3), os presos devem passar por audiência de custódia.

Jornal Midiamax