Polícia

Defesa pede por absolvição sumária de agente federal que matou durante show

A defesa do agente penitenciário federal, Joseilton Cardoso, entrou com pedido de absolvição sumária alegando legítima defesa do assassinato do pedreiro Adílson Ferreira dos Santos, de 23 anos, que foi morto a tiros durante um show no shopping Bosque do Ipês, em Campo Grande. Os advogados do agente alegam legítima defesa, já eu no dia […]

Thatiana Melo Publicado em 30/07/2019, às 09h09

Joseilton Cardoso (Foto: Internet)
Joseilton Cardoso (Foto: Internet) - Joseilton Cardoso (Foto: Internet)

A defesa do agente penitenciário federal, Joseilton Cardoso, entrou com pedido de absolvição sumária alegando legítima defesa do assassinato do pedreiro Adílson Ferreira dos Santos, de 23 anos, que foi morto a tiros durante um show no shopping Bosque do Ipês, em Campo Grande.

Os advogados do agente alegam legítima defesa, já eu no dia do crime, 24 de setembro de 2017, ele estava sendo agredido por um grupo depois de um desentendimento pela fila do banheiro. Nos autos, a defesa diz que Joseilton se utilizou ‘do único meio que podia naquele instante’.

Ainda segundo a tese da defesa, o agente estava sendo agredido por uma pessoa forte, que estava bêbado, fazendo apenas um disparo sendo que poderia ter feito 14 disparos. Ainda segundo os advogados, Joseilton se apresentou como agente federal e ainda teria mostrado a sua arma, mas continuou sendo agredido.

Em agosto de 2018 aconteceu a audiência do caso, sendo que em seu depoimento o agente disse ‘nunca ter apanhado tanto na vida’. “Ele estava muito violento, nunca apanhei tanto na minha vida. Quando saquei a arma, não tinha intenção de atirar, queria que ele visse a arma e parasse de me bater, mas ele não parou. Não houve nenhuma lesão nele a não ser o tiro que eu dei. Por isso não foi uma briga, foi uma surra”, falou.

Foi solicitada no final da audiência uma simulação em 3D (terceira dimensão) da trajetória da bala que causou a morte do pedreiro, para saber a posição em que a vítima e o acusado estavam no momento do disparo.

Relembre o caso

O crime aconteceu após um show no estacionamento do Shopping Bosque do Ipês, no dia 24 de setembro de 2017, quando o agente se envolveu em uma briga por causa da fila do banheiro.

Em depoimento, o agente disse que estava na fila do banheiro após o fim do show quando houve um desentendimento com Adilson. Os dois teriam entrado em luta momento em que o agente efetuou um disparo que atingiu o tórax da vítima. Foi feita tentativa de reanimação, mas Adilson acabou morrendo no local. O agente teria ido ao show para comemorar seu aniversário.

Jornal Midiamax