Polícia

Comerciante usou arma comprada há dez dias para matar por dívida de R$ 200

Se apresentou na 4ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande nesta quinta-feira (26), o comerciante Lucas Andrade de Menezes, de 24 anos, suspeito de ter matado Igor Pereira de Faria Duarte, de 25 anos, na madrugada de quarta-feira de Natal, na Avenida Guaicurus. Lucas estava acompanhando do advogado Amilton Ferreira de Almeida. O suspeito […]

Renan Nucci Publicado em 26/12/2019, às 17h05 - Atualizado às 17h40

Caso foi registrado na delegacia das Moreninhas (Foto: Divulgação)
Caso foi registrado na delegacia das Moreninhas (Foto: Divulgação) - Caso foi registrado na delegacia das Moreninhas (Foto: Divulgação)

Se apresentou na 4ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande nesta quinta-feira (26), o comerciante Lucas Andrade de Menezes, de 24 anos, suspeito de ter matado Igor Pereira de Faria Duarte, de 25 anos, na madrugada de quarta-feira de Natal, na Avenida Guaicurus. Lucas estava acompanhando do advogado Amilton Ferreira de Almeida.

O suspeito é dono de uma conveniência na Guaicurus e há cerca de 10 dias comprou uma arma de um caminhoneiro que frequenta o estabelecimento. Ele pagou cerca de R$ 1.500 e estava aguardando a entrega da documentação, pois segundo o vendedor a arma seria legítima e tinha registro. O objetivo era garantir a própria defesa.

Na noite da véspera de Natal, por volta das 22 horas, Igor teria chegado ao local e, conforme a versão apresentada pelo advogado, passou a consumir e a aborrecer outros clientes. Por volta das 3 horas da madrugada do dia 25, ele foi embora e deixou em aberto uma conta de R$ 200, motivo pelo qual o comerciante foi atrás para cobrá-lo.

“A arma ficava guardado no carro e ele [Lucas] foi de carro atrás da vítima pela Guaicurus, onde ocorreu os fatos.Tudo aconteceu a cerca de quatro quadras da conveniência”, comentou Amilton. Lucas entregou a arma à Polícia Civil e vai responder pelo crime em liberdade. “Ele entregou a arma e está à disposição da polícia”, pontuou.

Jornal Midiamax