Polícia

Antes de ser morto, garoto foi torturado e amarrado em matagal no Danúbio Azul

Antes de ser assassinado nesta quinta-feira (31), no Danúbio Azul, em Campo Grande, Pedro José de Arruda Pinto de 16 anos, foi torturado e teve uma das mãos e um dos pés quebrados. Ele foi encontrado amarrado em meio a um matagal. Pedrinho como era conhecido teria sido levado por volta das 6h30 da manhã […]

Thatiana Melo Publicado em 01/11/2019, às 08h00 - Atualizado às 12h59

None

Antes de ser assassinado nesta quinta-feira (31), no Danúbio Azul, em Campo Grande, Pedro José de Arruda Pinto de 16 anos, foi torturado e teve uma das mãos e um dos pés quebrados. Ele foi encontrado amarrado em meio a um matagal.

Pedrinho como era conhecido teria sido levado por volta das 6h30 da manhã de quinta (31) por dois rapazes conhecidos como ‘Rato’ e ‘Bugue’ para o matagal. Uma testemunha teria visto quando o adolescente foi sequestrado. O corpo foi encontrado na noite do mesmo dia pelos policiais do GOI (Grupo de Operações de Investigações) após a família registrar um boletim de ocorrência de sequestro na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

O garoto foi encontrado com sinais de tortura pelo corpo, com uma das mãos quebradas, um dos pés também quebrados e com as costas com queimaduras. As mãos estavam amarradas com a própria camiseta da vítima. O delegado José Roberto de Oliveira da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro disse que a morte teria sido por estrangulamento.

Informações passadas são de que Pedrinho já havia sido internado por três vezes na Unei (Unidade Educacional de Internação). Ele tinha passagens por tráfico de drogas, violência doméstica e receptação. Ainda segundo o delegado a linha de investigação seria o tráfico de drogas, já que tanto um dos suspeitos como a vítima traficavam.

Jornal Midiamax