Polícia

Apontado como braço direito de envolvido em execução do advogado Willian Maksoud é preso

  Braz Edson Nunes Avila, 33, conhecido como “Bra do PCC” foi preso por tráfico de drogas pela Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) nesta quarta-feira (05). Braz é apontado pela polícia como braço direito de Paulo Eduardo Nepomucemo Alves, o “Peréu do PCC”, que também está preso por tráfico de drogas. Braz […]

Diego Alves Publicado em 05/09/2018, às 20h09 - Atualizado em 06/09/2018, às 17h43

None

Braz Edson Nunes Avila, 33, conhecido como “Bra do PCC” foi preso por tráfico de drogas pela Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) nesta quarta-feira (05). Braz é apontado pela polícia como braço direito de Paulo Eduardo Nepomucemo Alves, o “Peréu do PCC”, que também está preso por tráfico de drogas.

Braz foi preso em um campo de futebol no Jardim Centenário, nesta quarta. Registros policiais indicam que “Peréu” foi quem forneceu as armas utilizadas para matar o advogado Willian Maksoud Filho. O advogado criminalista foi executado a tiros dentro de seu escritório, em abril de 2006, no Centro da Capital.

Ainda de acordo com a polícia, a sua morte foi encomendada pela facção criminosa, pois o advogado não teria conseguido a transferência do preso Júlio César Camacho para Campo Grande. Júlio César é irmão de Marcos Willian Herbas Camacho, o Marcola, apontado como líder do PCC.

Crime

Rafael Carlos Mosqueda, 35, foi preso e julgado e preso pela execução advogado. Ele foi preso no Paraguai, chegou a fugir do semiaberto na Gameleira em 2012 e foi preso novamente.

William Maksoud Filho trabalhava em seu escritório, na região central de Campo Grande, quando o acusado invadiu e matou o advogado no escritório. Na época, o MPE (Ministério Público Estadual) denunciou 12 pessoas e cinco foram condenadas.

Jornal Midiamax