Polícia

PMs são agredidos ao atender briga em bar que começou com suposta ‘possessão demoníaca’

A Polícia Militar foi acionada por populares para ir até um bar, no Centro de Sidrolândia, cidade distante 70 quilômetros de Campo Grande, para atender uma briga generalizada. Com a chegada dos policiais, uma das mulheres envolvidas arremessou uma cadeira contra os policiais e tentou agredi-los com chutes e empurrões na manhã deste sábado (7). […]

Mariana Rodrigues Publicado em 07/07/2018, às 10h41 - Atualizado às 11h08

None

A Polícia Militar foi acionada por populares para ir até um bar, no Centro de Sidrolândia, cidade distante 70 quilômetros de Campo Grande, para atender uma briga generalizada. Com a chegada dos policiais, uma das mulheres envolvidas arremessou uma cadeira contra os policiais e tentou agredi-los com chutes e empurrões na manhã deste sábado (7). Populares disseram que a mulher teria ‘incorporado um espírito maligno’, o que teria originado a briga.

Segundo informações do boletim de ocorrência, quando os policiais foram acionados para ir até o bar, a briga já acontecia há algum tempo. Chegando lá encontraram uma grande concentração de pessoas. Eles pediram para que a briga parasse, porém, duas mulheres continuaram as agressões, neste momento, uma delas pegou uma cadeira e arremessou em direção aos policiais que fizeram um disparo com bala de borracha ao solo, momento em que uma das envolvidas saiu correndo do local tomando rumo ignorado.

A outra mulher que ficou, de 24 anos, estava com um corte superficial na face. A todo momento ela dizia que iria matar a mulher que fugiu. Quando foi solicitado que ela se identificasse, a mesma tentou agredir os policiais militares com chutes e empurrões, sendo necessário sua contenção.

Populares disseram que a briga começou após a mulher de 24 anos ter “incorporado o Demônio” e começado a briga com as demais pessoas do local. Devido a alguns ferimentos que ela tinha, uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada para atendê-la, logo depois ela foi encaminhada para a Delegacia de Polícia.

Jornal Midiamax