Polícia

Polícia encontra celulares quebrados e professora morta com golpes de crucifixo

Dois celulares da professora e ex-diretora da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) Maria Ildonei Lima Pedra, de 70 anos, encontrada morta neste sábado (01) foram encontrados pela polícia no interior da casa onde morava. Junto ao corpo foi encontrado um crucifixo, instrumento que pode ter sido usado para os […]

Tatiana Marin Publicado em 02/09/2018, às 18h37 - Atualizado em 03/09/2018, às 10h25

Maria Ildonei de Lima Pedra
Maria Ildonei de Lima Pedra - Maria Ildonei de Lima Pedra

Dois celulares da professora e ex-diretora da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) Maria Ildonei Lima Pedra, de 70 anos, encontrada morta neste sábado (01) foram encontrados pela polícia no interior da casa onde morava. Junto ao corpo foi encontrado um crucifixo, instrumento que pode ter sido usado para os golpes.

O filho de Maria Ildonei, Cristiano de Lima Pedra, de 42 anos, disse à reportagem do Midiamax que até o momento não há confirmação de que objetos ou valores tenham sido levados. Ele contou que os dois celulares de sua mãe foram encontrados neste domingo (2) no interior da residência, porém estavam quebrados. “Até o momento não houve subtração de objetos, com exceção das chaves”, afirmou.

Ainda, Cristiano declara que a polícia verificou duas perfurações no pescoço da professora, sendo que é trabalhada a hipótese de que um crucifixo, encontrado junto ao corpo, tenha sido utilizado para os golpes. A suspeita é de que ela tenha sido morta por algum conhecido

Sepultamento

O velório de Maria Ildonei acontece na capela do cemitério Jardim das Palmeiras e o sepultamento será realizado nesta segunda-feira (3), às 9h.

A professora foi encontrada morta em sua casa na noite deste sábado (01) no Jardim Leblon em Campo Grande. A casa de Ildonei estava revirada com o portão aberto e, a professora foi encontrada morta na cozinha da residência.

De acordo com a presidente em exercício da Fetems, Sueli Veiga, um filho da professora tentou contato com a mãe neste sábado. Como não conseguiu, um irmão da professora então foi até a casa, encontrou o portão aberto e Maria Ildonei já sem vida dentro da residência, que estava toda revirada.

Maria Ildonei, que já estava aposentada como professora, fez parte da diretoria da Federação e, atualmente, trabalhava no setor administrativo do hotel de trânsito da Fetems.

Jornal Midiamax