Polícia

MS é ‘portal’ para esquema de imigração que cobrava até US$ 1 mil por pessoa

Antes de chegar no Brasil, estrangeiros passavam por Chile e Bolívia

Aliny Mary Dias Publicado em 09/02/2018, às 16h58

None

Antes de chegar no Brasil, estrangeiros passavam por Chile e Bolívia

A Polícia Federal desmontou nesta quinta-feira (8) quadrilha especializada em realizar imigração ilegal de estrangeiros para o Brasil. A cidade de Corumbá era usada como rota para o crime, que rendia de US$ 800 a US$ 1 mil dólares por estrangeiro.

A Operação Koyote teve objetivo de prender preventivamente três pessoas que foram identificadas como integrantes do grupo criminoso. Segundo a corporação, as investigações começaram depois de denúncia de 35 haitianos que estariam ilegais no Brasil e viviam em Corumbá.

As apurações levaram os agentes até a quadrilha. Descobriu-se que cada estrangeiro desembolsava quantias de até 1 mil dólares para entrar no Brasil depois de passarem por países como Bolívia e Chile.

MS é 'portal' para esquema de imigração que cobrava até US$ 1 mil por pessoa

Ainda segundo a PF, o crime de promoção de imigração ilegal é resultado de atualização legislativa do Estatuto do Estrangeiro. “Tendo a alteração aumentado a pena para a prática dos chamados “coiotes”.

Jornal Midiamax