Polícia

Justiça Paraguaia autoriza extradição de Marcelo Piloto

Foi autorizada pela Justiça Paraguaia a extradição do traficante brasileiro apontado como maior fornecedor de armas e drogas para o Brasil, Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto. Ele está preso no Paraguai desde dezembro de 2017. De acordo com o site G1, na decisão, publicada no sábado (27), a juíza Alicia Pedrozo determinou que […]

Clayton Neves Publicado em 30/10/2018, às 16h49

None

Foi autorizada pela Justiça Paraguaia a extradição do traficante brasileiro apontado como maior fornecedor de armas e drogas para o Brasil, Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto. Ele está preso no Paraguai desde dezembro de 2017.

De acordo com o site G1, na decisão, publicada no sábado (27), a juíza Alicia Pedrozo determinou que Piloto seja entregue à Justiça Brasileira depois que forem concluídos dois processos abertos contra ele no país vizinho, um por homicídio e  outro por produção de falsos documentos e violação da Lei de Armas. Nenhum dos dois processos têm prazo para terminar.

No Brasil, Marcelo Piloto deve cumprir pena de mais de 26 anos de prisão a que foi condenado por latrocínio e roubo.

Resgates frustrados

O processo de extradição foi acelerado depois de a polícia paraguaia frustrar dois planos de resgate do brasileiro, que está preso em Assunção.

O primeiro foi descoberto no dia 4 de outubro, quando cinco pessoas foram presas suspeitas de estarem preparando o plano. Em três casas ocupadas pelo grupo na capital Assunção foram encontradas armas, munição e explosivos.

A segunda tentativa de resgate foi frustrada na quarta-feira (24), quando três brasileiros suspeitos de serem membros do Comando Vermelho foram mortos em uma ação conjunta da Polícia Nacional do Paraguai e da Polícia Internacional (Interpol).

Na casa onde eles estavam, em Presidente Franco, a 10 km de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, os policiais encontraram dois carros com 85 kg de dinamite. Um deles estava preparado para ser explodido.

Jornal Midiamax