Polícia

Velório de empresário tem confusão, tiros de borracha e 3 detidos

Morreu após acidente com Harley-Davidson na rodovia

Midiamax Publicado em 15/08/2017, às 11h24

None

Morreu após acidente com Harley-Davidson na rodovia

Uma confusão durante o velório do empresário João Roberto Fernandes Júnior, de 52 anos, morto em um acidente na MS-306 no último domingo (13), terminou com tiro de borracha e três pessoas levadas para a delegacia na noite desta segunda-feira (14) em Chapadão do Sul, a 337 quilômetros de Campo Grande.

Conhecido como Joãozinho da Inviolável, o empresário morou em Chapadão do Sul por cerca de 10 anos e era proprietário de uma empresa de segurança, a Inviolável. Ele morreu após colidir a motocicleta que conduzia, uma Harley Davidson AD Deluxe, de frente com outro veículo, que realizava uma ultrapassagem irregular na rodovia.

O empresário chegou a ser socorrido para o hospital da região, precisou ser transferido para a Santa Casa de Campo Grande, mas sofreu uma parada cardiorrespiratória dentro da ambulância e não resistiu.

Seu velório era realizado nesta segunda-feira na Capela Municipal de Chapadão do Sul, mas por volta das 23 horas, equipes da Polícia Militar foram avisadas de que um veículo Gol branco estava ‘promovendo desordem’ no local. Assim que chegaram, os militares abordaram um grupo de pessoas, que se recusaram a ser revistadas.Velório de empresário tem confusão, tiros de borracha e 3 detidos

Segundo o boletim de ocorrência, depois dos policiais repetirem a ordem várias vezes, um dos suspeitos, de 20 anos, avançou contra a guarnição com um canivete na mão. Para impedir o rapaz, um dos militares efetuou um tiro de elastômero, que o atingiu na cintura.

O jovem derrubou o canivete, mas continuou a reação e entrou em luta com os policiais, entre eles um investigador da Polícia Civil que auxiliava a abordagem. O rapaz foi imobilizado e algemado. Enquanto as equipes levavam o suspeito para a viatura, outros dois amigos dele reagiram para evitar sua prisão.

Uma nova briga começou e os três envolvidos foram imobilizados, detidos e levados para a Delegacia de Polícia Civil da cidade. O caso foi registrado como resistência e desobediência – lesão corporal dolosa. (Foto: O Correio News)

Jornal Midiamax