Polícia

Tribunal ouve nesta quarta testemunhas do caso Adriano, morto por PRF

Duas vítimas que estavam na caminhonete também devem depor

Midiamax Publicado em 04/04/2017, às 22h19

None
56.jpg

Duas vítimas que estavam na caminhonete também devem depor

A primeira audiência do processo do policial rodoviário federal Ricado Hyun Su Moon, 47 anos, que matou o empresário Adriano do Nascimento Correia do Nascimento, de 32, depois de briga de trânsito, acontece nesta  quarta-feira (5), na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande.

A partir das 13h40, oito pessoas prestarão depoimento, entre elas, Agnaldo Espinosa da Silva, 48 anos, e o enteado dele, de 17 anos, que estavam no carro de Adriano, no dia do crime, e que também ficaram feridos.

No próximo dia 11, o juiz Carlos Alberto Garcete ouvirá os peritos responsáveis pelo laudo realizado na camionete da vítima e de dois delegados de polícia, em razão da suspeita de crime de fraude processual.

No mesmo despacho, em que a oitiva dos peritos e delegados foi determinada, o magistrado deferiu, ainda, o ingresso da mãe da vítima como assistente de acusação do Ministério Público.

Para o próximo dia 12 de abril, as oitivas serão destinadas as testemunhas de defesa e do policial que responde em liberdade.

Jornal Midiamax