Polícia

Sejusp troca diretor da Unei Dom Bosco denunciado por prática de tortura

Agentes estocavam na unidade cassetetes de madeira

Celso Bejarano Publicado em 30/01/2017, às 13h45

None
cassetetes.jpg

Agentes estocavam na unidade cassetetes de madeira

O secretário da Sejusp-MS (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) de Mato Grosso do Sul, José Carlos Barbosa, nomeou o agente de segurança socioeducativa, Halison da Silva Araújo, como diretor da Unei (Unidade Educacional de Internação) Dom Bosco, em Campo Grande.

A substituição, publicada no Diário Oficial de MS, edição desta segunda-feira (30), ocorreu porque o ex-diretor da unidade que abriga jovens infratores com idades de 12 a 20 anos, Jean Lesseski Gouveia, foi denunciado e exonerado do cargo depois por apoiar suposta prática de tortura contra os internos.

Além dele a Sejusp exonerou o chefe de segurança da Unei Dom Bosco, Maurício Cesar Lagoa, pela mesma causa.

De acordo com publicação do Diário Oficial do Estado, na semana passada, as exonerações foram impostas por determinação judicial.

Em setembro do ano passado, integrantes do MNPCT (Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura), setor vinculado a Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça, fez vistoria na unidade. Lá, os técnicos acharam cassetetes fabricados com madeira estocados em cômodos da unidade.

Declarações colhidas pelo MNPCT indicam que os agentes penitenciários usavam as armas contra os internos. A reportagem tentou conversar com o ex-diretor e o chefe da segurança, exonerados, mas eles não foram localizados. O ex-diretor estaria de férias.

Jornal Midiamax