Polícia

Polícia flagra van com eleitores do Paraná durante votação em Tacuru

Quatro pessoas foram presas na ação 

Midiamax Publicado em 04/06/2017, às 14h05

None

Quatro pessoas foram presas na ação 

Nas primeiras horas de eleição suplementar em Tacuru, a Justiça Eleitoral prendeu duas pessoas por participação na compra de votos. Segundo o boletim de ocorrência, os eleitores foram trazidos do Paraná para votar na cidade. Dois eleitores ainda desacataram os policiais que fizeram a prisão e também acabaram presos.

Conforme a polícia, o flagrante aconteceu após denúncias de transporte irregular de eleitores. O juiz eleitoral da cidade, acompanhado de uma equipe policial, fez então a abordagem de uma Van, vinda do Paraná, com vários passageiros.

Em um primeiro momento, o motorista do veículo não soube explicar o que fazia na cidade e logo confessou ter sido contratado para buscar eleitores do Paraná para votarem na eleição municipal. Tavares Nunes de Melo, de 42 anos, ainda contou para a polícia que a responsável por contratar seu serviço foi Anatalia Garcia, de 52 anos.

A mulher também estava na Van e negou os fatos, afirmando que todos os passageiros eram na verdade seus parentes, mas ao verificar os documentos a polícia desmentiu a história. Os eleitores então relataram que foram contratados para votar na cidade e que os dois suspeitos viajaram até o Paraná para buscá-los.Polícia flagra van com eleitores do Paraná durante votação em Tacuru

Ainda conforme o boletim de ocorrência, dois eleitores que estavam na Van também foram abordados, mas resistiram, tentaram agredir e ofender os policiais. Luiz Fernando Garcia e Tiago Wilhan Garcia Gomes, de 18 e 21 anos, estavam embriagados e acabaram presos. Segundo o registro, todos os passageiros estavam bêbados.

A 427 quilômetros de Campo Grande, Tacuru tem nova eleição porque a chapa encabeçada pelo prefeito e vice eleitos em outubro passado, Claudio Rocha Barcelos, o doutor Cláudio, do PR, e Adailton de Oliveira, do PSDB, respectivamente, concorreu com registro de candidatura indeferido. Eles venceram, assumiram, mas o Tribunal Superior Eleitoral definiu por indeferir a chapa, daí a eleição suplementar. O candidato então candidato a vice, Adailton de Oliveira foi condenado por compra de votos na eleição de 2012.

Nesta eleição disputam a prefeitura Carlinhos Pelegrini, do PMDB, que tem como vice Marcelo Marques, outro peemedebista. O PP lançou a candidatura de Paulo Melo, como prefeito e a vereadora Daiana Pedrotti, como vice.

Desde o início do ano a prefeitura da cidade tem sido administrada pelo vereador Paulo Melo, que era presidente da Câmara Municipal.

Jornal Midiamax