Polícia

Mantida ação contra pais de bebê que morreu asfixiado após mãe retirar sonda

Recém-nascido morreu em 2016

Thatiana Melo Publicado em 24/11/2017, às 10h39

None

Recém-nascido morreu em 2016

A Justiça manteve a denúncia contra os pais de um bebê recém-nascido, que morreu em janeiro de 2016, na cidade de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, após a sonda que o alimentava ser retirada pela mãe.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o crime foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois um bebê não tem condições de se defender.  A denúncia ainda alega que os pais forçaram a morte da bebê ao atende-la com desprezo.

O bebê precisava usar uma sonda para se alimentar, já que tinha nascido com hidrocefalia. A mãe teria retirado a bebê do hospital contrariando a alta médica. Já na residência, a mãe teria tirado a sonda da filha passando a alimentá-la com mamadeira.

Em sua defesa, o pai afirmou nunca ter ido visitar a filha no hospital que ficou aos cuidados da mãe, o que contradiz os fatos já que ele teria saído da maternidade acompanhando a mãe do bebê.

A menina morreu em janeiro de 2016, por asfixia, após ser deixada pela mãe com uma vizinha para ir a uma festa. Informações são de que, a mãe da criança teria voltado no dia seguinte embriagada.Mantida ação contra pais de bebê que morreu asfixiado após mãe retirar sonda

A época dos fatos, a mãe teria dito que o pai do bebê era traficante e que para ela o bebê teria sido morto por ele. O corpo do bebê foi encontrado em cima de um freezer e a sonda para alimentá-lo estava na bolsa da mãe, que tinha ido a um pagode.

Jornal Midiamax