Polícia

Familiares acham que morte de servidor está ligada a traição e separação

Motocicleta da vítima estava em posto de combustível

Thatiana Melo Publicado em 12/05/2017, às 10h23

None

Motocicleta da vítima estava em posto de combustível

Caso extraconjugal, pedido de separação e ameaças de morte podem ser elementos do assassinato do servidor da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Givaldo Domingues da Silva, de 43 anos, segundo familiares dele.

Depois da descoberta do corpo de Givaldo em uma vala, na região da gameleira, em Campo Grande, nesta quinta-feira (11), um dos sobrinhos do servidor prestou depoimento na delegacia de polícia e afirmou que o tio já tinha pedido a separação para a esposa.

Familiares acham que morte de servidor está ligada a traição e separação


Guardas municipais foram acionados pelos funcionários do estabelecimento, que estranharam a moto estar parada no local desde sábado (4), dia em que o servidor desapareceu.

De acordo com informações, funcionários do local afirmaram que dois homens chegaram ao posto de combustível por volta das 14h30 de sábado (4) e deixaram a motocicleta no lugar. Não se sabe se um dos homens seria Givaldo.

A morte

​O corpo do servidor em estado avançado de decomposição foi localizado por populares nesta quinta-feira (11), na região da gameleira, em uma vala. Ele tinha perfurações de três a quatro tiros, além de marcas de facadas.

Ele desapareceu no sábado (4) depois de sair da oficina de um sobrinho, no Bairro Aero Rancho. No dia do desaparecimento ele tinha recebido o salário e tinha saído para fazer pagamentos. Givaldo estava conduzindo uma motocicleta vermelha.

A esposa de Givaldo procurou a delegacia a 6º Delegacia de Polícia Civil da cidade na segunda-feira (6) para registrar o boletim de ocorrência pelo desaparecimento do marido.

Jornal Midiamax