Polícia

Cesare Battisti foi preso em Corumbá com dinheiro não declarado em táxi boliviano

PRF prendeu italiano na tarde desta quarta

Aliny Mary Dias Publicado em 04/10/2017, às 20h27

None

PRF prendeu italiano na tarde desta quarta

O terrorista italiano Cesare Battisti, preso nesta quarta-feira (4), em Corumbá, na fronteira do Brasil com a Bolívia, estava em um táxi boliviano com mais duas pessoas. De acordo com a Polícia Federal, o italiano condenado à prisão perpétua foi detido pelo crime de evasão de divisas, pois levava quantia em dinheiro não declarado.

Em nota, a PF confirmou que Battisti foi preso pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) e depois encaminhado para a delegacia da PF. O terrorista tentava deixar o Brasil em um táxi do país vizinho.

Battisti foi preso com de US$ 5 mil (cerca de R$ 16 mil) e 2 mil euros (R$ 7,3 mil). A corporação não revelou a identidade das outras duas pessoas que estavam no táxi com ele.

Pelo crime de evasão de divisas, o estrangeiro pode ser condenado até 1 ano e 4 meses.

Battisti

Cesare, hoje aos 62 anos, foi condenado pela justiça italiana em 1987 por terrorismo, com restrição de luz solar, pelo suposto envolvimento em quatro homicídios, além de assaltos e outros delitos menores. É considerado terrorista pelo Estado italiano, embora o delito de terrorismo não seja tipificado na legislação italiana.

Cesare Battisti foi preso em Corumbá com dinheiro não declarado em táxi boliviano

Em razão da extradição ser autorizada apenas mediante decreto, em dezembro de 2009 o então presidente Lula (PT) decidiu pela não extradição de Cesare, que na época estava detido no Complexo Penitenciário da Papuda. A soltura dele veio por meio de decisão do STF em junho de 2011. Desde então, ele vivia em liberdade no Brasil. (Matéria alterada para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax