Polícia

Vítima de emboscada, agente penitenciário ferido a tiros apresenta melhora

Continua na UTI

Renata Portela Publicado em 04/09/2016, às 14h40

None
enderson.jpg

Continua na UTI

Enderson Bogas Severi, de 34 anos, agente penitenciário de Naviraí, cidade a 359 quilômetros de Campo Grande, se recupera de um atentado sofrido no dia 31 de agosto. Ele foi atingido por vários tiros e continua internado em um hospital de Dourados, após ter passado por cirurgias.

Segundo o Sinsap/MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul), Enderson apresentou melhora no estado de saúde, mas continua na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Ele permanece sedado para que não haja interferência na recuperação por conta de movimentos do corpo, já que quadro é delicado.

O agente penitenciário passou por cirurgia ainda na quarta-feira. Ele teve o intestino perfurado por um dos disparos que o atingiram e durante o procedimento cirúrgico foi necessária a retirada do baço.

Segundo a Polícia Civil, ainda não há novidade sobre os pistoleiros que atiraram em Enderson. Os pilotos das motocicletas já foram presos e responderão por associação criminosa, homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo.

'Todo cuidado é pouco'

Na sexta-feira, o Sinsap sinalizou que os agentes farão a paralisação de algumas atividades a partir de segunda-feira (5), enquanto aguardam um posicionamento do Governo. Em nota, o sindicato informa que às 8 horas os agentes iniciarão o manifesto. Com a paralisação, apenas os serviços considerados essenciais serão mantidos e também os de caráter urgente.

Ainda na sexta-feira, o sindicato também publicou em seu site um alerta aos agentes. A nota lembra que ataques como o sofrido pelo agente Enderson podem ser resultado da 'comemoração' de aniversário do PCC (Primeiro Comando da Capital), facção que teria completado 23 anos no dia 31.

Vítima de emboscada, agente penitenciário ferido a tiros apresenta melhora

“Esta Entidade Sindical alerta a todos os servidores penitenciários para que tomem cuidados adicionais para garantir a segurança em seus locais de trabalho, que evitem transitar pelos mesmos trajetos, que se abstenham de frequentar determinados lugares, que evitem aglomerações de servidores num mesmo espaço físico, enfim, que tomem muita cautela em todo e qualquer lugar ou deslocamento”, diz a nota.

Por fim, o alerta é complementado dizendo que “informações extraoficiais, indicam que o ambiente do sistema prisional está tenso e conturbado, que desde a semana passada as autoridades já tinham conhecimento dessa realidade. Essa situação ainda persiste, e a possibilidade de eventuais ataques aos integrantes da nossa carreira não está completamente descartada. o risco é real e todo cuidado é pouco”.

Jornal Midiamax