Polícia

Polícia investiga apoio de facções de outros estados em atentado a agente

Áudio com pedido de reforço foi encontrado

Gerciane Alves Publicado em 31/08/2016, às 18h58

None
suspeitos1.jpeg

Áudio com pedido de reforço foi encontrado

Integrante de facções de outros estados do país podem estar envolvidos no atentado ao agente penitenciário Enderson Bogas Severi, de 34 anos, baleado na manhã desta quarta-feira (31) em Naviraí, cidade distante 359 quilômetros de Campo Grande. Policiais encontraram um áudio com detentos do município de Itaquiraí onde era solicitado reforço para uma emboscada.

No áudio os detentos estariam solicitando apoio de integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) de outros estados para realizar uma embosca. A polícia investiga se o áudio foi gravado pelos detentos do de Itaquiraí ou se apenas estava sendo repassado, mas tudo leva a polícia a acreditar que a emboscada citada no áudio seja a sofrida pelo agente penitenciário esta manhã.

A suspeita é de que a ajuda tenha vindo de integrantes da facção criminosa do estado do Paraná, mas a participação de pessoas do município de Naviraí teria sido crucial para a realização do atentado já que acredita-se que os suspeitos conheciam a rotina de Enderson.

Quadro clínico delicado

O estado de saúde de Enderson é considerado grave e delicado. Ele passou por cirurgia no início desta tarde e está no UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Evangélico do município de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande.

Enderson teve o intestino perfurado por um dos disparos que o atingiram e durante o procedimentos cirúrgico foi necessário a retirada do baço. Segundo informações, o agente penitenciário foi encaminhado para o CTI, está sedado e seu estado de saúde é grave.

As próximas 48 horas são consideradas delicadas e de extrema importância. A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) juntamente com policiais militares e civis fazem a segurança do local.

Atentado

Conforme imagens de uma câmera de segurança, que registraram o momento do crime, Enderson seguia em sua motocicleta e acompanhava a mulher, que estava de carro. Ele havia acabado de deixa os filhos na creche, quando os quatro bandidos que o seguiam passaram por ele em duas motocicletas.

A ação dura menos de 10 segundos, conforme registrado pelas câmeras de segurança . Os passageiros das motos atiraram cinco vezes contra o agente penitenciário, que foi atingido por quatro tiros no abdômen, pernas e na coluna. Ele estava consciente quando foi socorrido e foi levado para um hospital na cidade de Dourados, por conta da gravidade dos ferimentos.

Há suspeita de que haja relação do atentado contra Enderson e o motim que ocorreu no início do mês no Presídio de Segurança Máxima de Naviraí, onde o agente trabalha desde 2011. Também há indicativo de que os criminosos sejam de outra cidade e tenham envolvimento com uma facção criminosa.

Jornal Midiamax