Polícia

Mulher que matou marido em carvoaria atirou para se defender

Ela se apresentou três dias depois do crime

Gerciane Alves Publicado em 05/04/2016, às 20h06

None
4_dp_0.jpg

Ela se apresentou três dias depois do crime

Na noite do dia 20 de março Ogremar Teodoro, de 55 anos, foi morto com um tiro de espingarda dentro de uma carvoaria próxima a MS-040. A principal suspeita do crime era a esposa de Ogremar, que se apresentou na 4ª Delegacia de Polícia de Campo Grande três dias depois e confessou que matou o marido, que a agredia constantemente, para se defender.

De acordo com a delegada Delegada Célia Maria Bezerra da Silva a mulher foi até a delegacia na noite do dia 23 e deu detalhes de como tudo aconteceu. Segundo a vítima, no dia do crime Ogremar havia ingerido bebida alcoólica e como de costume estava muito agressivo. Com uma espingarda nas mães ele ameaçava a mulher que resolveu tirá-la de suas mãos.

Depois que ela pegou a arma, Ogremar teria partido para cima dela, momento em que para se defender ela acabou atirando. A mulher foi ouvida e liberada em seguida. Dos cinco filhos do casal, que estavam juntos há 28 anos, apenas um ainda não foi ouvido. Durante as oitivas realizadas, a delegada salienta ter constatado que a autora sofria com agressões rotineiras de Ogremar.

O crime

Ogremar Teodoro, de 55 anos, foi morto com um tiro no peito na noite de domingo (20) pela esposa, de 33 anos. Segundo testemunhas, a mulher era vítima constante de agressões do marido e no domingo teria se defendido atirando contra Ogremar. Testemunhas afirmaram aos policiais não terem presenciado o crime, mas terem ouvido disparos de arma de fogo. Em seguida ao crime, a mulher fugiu do local

Jornal Midiamax