Polícia

Interno compra celular de presidiário, não recebe e é ameaçado de morte

Detentos teriam usado barras de ferro nas agressões

Thatiana Melo Publicado em 27/01/2016, às 12h10

None
sirene.jpg

Detentos teriam usado barras de ferro nas agressões

Depois de comprar um aparelho celular de um presidiário, de 56 anos, por R$ 140 e não receber o celular, um interno, de 19 anos foi ameaçado de morte, dentro do presídio de Paranaíba, localizado a 413 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Polícia Civil da cidade, o interno comprou um aparelho celular do outro presidiário pelo valor de R$ 140, a mulher do interno teria feito três depósitos em uma conta a pedido do marido, que fez a ligação do celular do presidiário.

No dia de receber o aparelho celular, o presidiário afirmou não ter o aparelho quando o interno pediu que entregasse duas porções de pó e uma de maconha, que foram entregues. Mas, o restante da dívida o autor disse que não pagaria, momento em que os dois homens começaram a briga.

Ainda de acordo com informações, o interno avistou oito aparelhos celulares na posse do presidiário, vindo a subtrair um dos aparelhos mais dinheiro do autor. O presidiário começou a gritar e outros detentos cercaram a vítima, que atirou o telefone em um agente penitenciário.

Os dois homens apossaram-se de barras de ferro, mas o interno acabou agredido na mão e cotovelo pelo autor, que ainda disse que quando saísse o mataria, ou mandaria alguém fazer o serviço. O aparelho celular foi apreendido pelos agentes penitenciários, que encontrarão registros de ligações, fotos e conversas no WhatsApp.

Jornal Midiamax