Polícia

Falsos proprietários lucram R$ 600 mil vendendo lotes a baixo custo na Capital

São procurados

Renata Portela Publicado em 06/09/2016, às 14h32

None
casal_arlindo_capa1.jpg

São procurados

Um casal é procurado pela Polícia Civil de Campo Grande por negociar e vender lotes na região do Nova Lima. Eles não são proprietários dos terrenos e usavam documentos falsos para as vendas. A oferta era bastante atrativa, o que chamou a atenção de funcionários do cartório onde eles fechavam negócio.

De acordo com o delegado Maércio Alves Barboza, titular da Dedfaz (Delegacia Especializada em Repressão a Crimes de Defraudações e Falsificações), o casal negociava os lotes desde junho, mas só foi denunciado à polícia na última quinta-feira, dia 1º. Funcionários do cartório onde eles fechavam negócio com as vítimas desconfiaram dos valores a que os lotes eram vendidos.

Ainda segundo o delegado, os lotes são avaliados em valores que variam de R$ 90 mil a R$ 100 mil e eram vendidos pelos falsos proprietários por R$ 35 mil a R$ 40 mil. Ao todo, dez pessoas foram enganadas pelos estelionatários, que conseguiram vender 18 lotes, lucrando ao todo R$ 600 mil com os golpes.

Imagens dos suspeitos foram divulgadas pela polícia, que ainda procura pelo casal. Eles foram identificados, mas estão foragidos. O delegado Maércio acredita que há outras vítimas dos golpistas. Eles pararam de ir ao cartório onde passavam os documentos falsos dos lotes para o nome das vítimas após perceberem a presença policial no local.

Os suspeitos são procurados e, se presos, responderão por estelionato.

Jornal Midiamax