Polícia

Discussões marcaram relação entre jovem achada morta e marido suspeito

Amiga encontrou corpo de jovem no quarto do casal

Thatiana Melo Publicado em 01/09/2016, às 12h55

None
luana_greco.jpg

Amiga encontrou corpo de jovem no quarto do casal

Relacionamento tumultuado, marcado por várias brigas e discussões terminou de forma trágica no último sábado (27), em Campo Grande, no Bairro Santa Luzia, quando Luana de Campos Grecco, de 22 anos foi morta pelo marido Gelvio Nascimento Rosseto, de 26 anos.

A amiga de Luana disse a equipe do Jornal Midiamax que o relacionamento do casal era muito complicado, marcado por muitas brigas, “Ela (Luana) era muito ciumenta, já o Gelvio era tranquilo”, fala a jovem que ainda disse que Luana nunca teria dito sofrer agressões físicas por parte do marido.

A amiga confirmou que Gelvio era usuário de drogas, mas quando perguntada sobre a movimentação intensa na residência do casal disse que ele não vendia drogas, mas que a movimentação seria por que tinham muitos amigos.

Ainda de acordo com a jovem ao chegar de uma viagem teria ido procurar a amiga que estava desaparecida. Ao chegar à residência nesta quarta-feira (31) não encontrou o autor no imóvel, que estaria na casa de seu pai morador da mesma região.

“Entrei na residência e encontrei o corpo de Luana caído no chão do quarto deles”, fala. Em seguida teria ido até a casa do pai de Gelvio, mas não o encontrou. O sogro de Luana teria acionado a polícia.

O crime

O corpo de Luana Santos Grecco, de 22 anos foi encontrado na noite desta quarta-feira (31) em sua residência, no Bairro Santa Luzia depois que vizinhos acionaram a polícia por causa do forte odor que vinha do imóvel.

Segundo informações policiais, Luana já estava morta havia cinco dias na residência e o suspeito pela morte da jovem seria o marido identificado como, Gelvio Rosseto, de 26 anos.

Testemunhas afirmaram aos policiais, que o casal convivia havia três anos e que eram constantes as brigas entre eles. O autor seria dependente químico. Ainda de acordo com informações, no sábado (27) vizinhos teriam escutado uma briga entre o casal e barulho de vários objetos quebrando na residência. Luana foi morta no dia 27 de agosto.

Já no domingo (28), o autor foi visto por vizinhos no portão de sua residência com uma pessoa sobre o muro. Uma amiga de Luana teria perguntado para Gelvio sobre o paradeiro da jovem, mas ele, se mostrando indiferente, teria dito que não sabia onde a mulher estava.

Depois de cinco dias de sumiço da jovem e por causa do forte odor que vinha da residência, a polícia foi acionada pelos vizinhos que ao chegarem à residência encontraram várias marcas de sangue nas paredes da sala, da cozinha e do quarto.

No imóvel foi localizada uma faca com sangue e uma tábua de carne com fios de cabelo e sangue. O corpo da jovem estava no interior da residência. O autor foi preso em flagrante pelo assassinato da mulher.

Jornal Midiamax