Polícia

Apontada como cafetina em escândalo sexual que implica políticos está foragida

Duas mulheres foram presas nesta manhã

Renata Portela Publicado em 05/07/2016, às 12h31

None
rosedelia1.jpeg

Duas mulheres foram presas nesta manhã

Na manhã desta terça-feira (4), Jorsiane Soares Correa, de 25 anos, e Mônica Matos de Souza, de 37 anos, foram presas mediante mandado de prisão por terem participação no escândalo sexual envolvendo políticos de Campo Grande. A suposta cafetina e mentora do esquema, Rosedélia Alves Soares, de 41 anos, está foragida.

Segundo a Polícia Civil, as prisões fazem parte da Operação Anilha, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), que relembra casos antigos e busca prender foragidos. Rosedélia  – que é mãe de Jorsiane – teve o mandado de prisão expedido na sexta-feira (1º) por aliciamento de menores ,e, ao ficar sabendo, fugiu.

Jorsiane e Mônica foram citadas na delação de Fabiano Otero, também considerado mentor do escândalo sexual, que agora segue em prisão domiciliar após passar mais de 100 dias no presídio. As duas mulheres são ouvidas pelo delegado Paulo Sérgio Lauretto e após prestarem depoimento cumprirão prisão domiciliar.

Segundo a polícia, Jorsiane tentou se esconder na casa de um tio, na Moreninha IV, mas foi localizada. Mônica foi presa em casa, na Moreninha III. Rosedélia teve prisão preventiva decretada e cumprirá a pena no Presídio Feminino.

Relembre o caso

Robson Leiria Martins foi preso no dia 17 de abril de 2015 ao ser flagrado no estacionamento de um supermercado extorquindo R$ 15 mil do então ex-vereador Alceu Bueno (sem partido, ex-PSL). O dinheiro seria para impedir a divulgação de vídeos nos quais Alceu aparecia praticando sexo com adolescentes.Apontada como cafetina em escândalo sexual que implica políticos está foragida

O material seria parte de um esquema de exploração sexual das jovens, que registravam os encontros com figuras públicas em câmeras escondidas, para extorquir os envolvidos depois.

Após a revelação do caso, que chegou ao conhecimento da polícia, Alceu Bueno renunciou ao cargo de vereador. Além dele, o ex-deputado estadual Sérgio Assis também foi indicado por favorecimento à exploração sexual no caso.

Jornal Midiamax