Polícia

Agente que sofreu atentado permanece internado depois de infecção hospitalar

Dois foram presos pelo crime

Midiamax Publicado em 12/09/2016, às 17h37

None
_mg_0104.jpg

Dois foram presos pelo crime

O agente penitenciário Enderson Bogas Severi, de 34 anos, segue internado na UTI (Unidade de Tratamento Intensiva) do Hospital Evangélico de Dourados, a 226 quilômetros de Campo Grande, por conta de uma infecção hospitalar. Ferido por quatro tiros no dia 31 de agosto em Naviraí, a vítima precisou ser transferida por conta da gravidade dos ferimentos.

Bonfim deu entrada no hospital de Dourados com perfuração no intestino e também precisou passar por cirurgia para retirar o baço. Ele se recuperava na UTI da unidade, mas contraiu uma infecção e voltou a ser entubado.

Segundo apurado pelo Jornal Midiamax, ainda assim, Bonfim vem apresentando melhoras. De acordo com a Apepen(Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), ainda não há informações se o agente pode apresentar algum tipo de sequela por conta dos ferimentos.

Prisões

Edson dos Santos Bonfim, de 22 anos e Lucas Silva Pimentel, de 20 anos, foram presos no mesmo dia crime. Os dois pilotavam as motocicletas e levavam na garupa os atiradores que dispararam vários tiros de 9mm contra o agente penitenciário. Um dos pistoleiros já foi identificado como Fabiano Nere Santana, de 25 anos.

Fabiano tem contra ele um mandado de prisão em aberto do Paraná, por tráfico de drogas, e segue foragido pelos crimes de tentativa e homicídio qualificado, associação criminosa e porte ilegal de arma.

Na casa de Edson ainda foi encontrado uma espingarda calibre 12mm, que não teria sido usada no dia do crime.

O crime

Conforme imagens de uma câmera de segurança, que registraram o momento do crime, Enderson seguia em sua motocicleta. Ele acompanhava a mulher, que estava de carro e havia deixado os filhos na creche, quando os quatro bandidos que o seguiam passaram por ele em duas motocicletas.

A ação dura menos de 10 segundos, conforme o registro em vídeo. Os passageiros das motos atiraram cinco vezes contra o agente penitenciário, que foi atingido por quatro tiros no abdômen, pernas e na coluna. Ele estava consciente quando foi socorrido.

Há suspeita de que haja relação do atentado contra Enderson e o motim que ocorreu no início do mês no Presídio de Segurança Máxima de Naviraí, onde o agente trabalha desde 2011. Também há indicativo de que os criminosos estivessem comemorando o aniversário do PCC (Primeiro Comando da Capital), com ataques contra forças de segurança.

Jornal Midiamax