Polícia

Trio que se conheceu na cadeia é preso por aplicar golpe do envelope vazio

Eles responderão por estelionato

Renata Portela Publicado em 07/10/2015, às 15h43

None
img-20151007-wa0056.jpg

Eles responderão por estelionato

Na manhã desta quarta-feira (7), a Polícia Federal prendeu três pessoas envolvidas em um esquema de estelionato. Foram detidos um rapaz de 29 anos e pai e filho, de 49 e 26 anos. Segundo a polícia, eles são responsáveis por depositarem envelopes vazios em negociações de compra de veículos, além de atearem fogo em uma agência da Caixa Econômica Federal no Aero Rancho, no dia 17 de maio.

A equipe policial foi até a agência que teve o caixa eletrônico incendiado no dia 17 e, a partir das imagens das câmeras de segurança, iniciou investigação. De acordo com o delegado de defesa institucional, Marcelo Alexandrino de Oliveira, a Polícia Federal cuidou do caso, por se tratar de um órgão público federal.

Foi constatado que o grupo agia buscando pessoas que vendiam carros e negociavam a compra, propondo pagamento mediante depósito bancário. Os suspeitos então depositavam os envelopes vazios, para emitir comprovante de pagamento. Eles mostravam os comprovantes para as vítimas, pegavam os veículos e ‘desapareciam’.

Ainda de acordo com o delegado Marcelo e o delegado Cleo Mazzotti, da DRCO (Delegacia Recional de Crimes Organizados), no dia 17 de maio, os suspeitos foram até a agência bancária da Caixa e depositaram 6 envelopes vazios. Com o depósito dos envelopes, eles emitiram comprovantes no valor de R$ 16,4 mil.

Para que os envelopes fossem destruídos, eles ainda jogaram gasolina e atearam fogo no caixa eletrônico. Segundo os delegados, a ação colocou em risco os moradores vizinhos ao banco, pois o incêndio se alastrou. A princípio, a polícia suspeitou de um ato de vandalismo, mas, como os envelopes vazios não foram destruídos, foi descoberta a tentativa de golpe.

Os policiais iniciaram a Operação Caixa de Fogo, em alusão ao incêndio criminoso, e chegaram até o trio, que foi detido na manhã desta quarta-feira. De acordo com a Polícia Federal, eles estão em liberdade condicional. O suspeito de 29 anos responde por roubo à mão armada e saiu da prisão em 2014 e o homem de 49 anos e o filho, de 26 anos, respondem por tráfico de drogas e saíram da cadeia em 2015. Eles se conheceram no presídio, onde arquitetaram o crime.

O trio foi indiciado pelos crimes de estelionato, qualificado por ter sido praticado em detrimento de instituto de economia popular, por incêndio qualificado por ter sito cometido com intuito de obter vantagem pecuniária em proveito próprio, por colocar em risco a vida de terceiros e associação criminosa. Se condenados, as penas somadas podem chegar a 18 anos de reclusão, além de multa.

Os delegados fazem um alerta à população, pedindo que as pessoas nunca aceitem negociação de venda a partir de comprovantes de depósito e que entreguem os objetos vendidos apenas após comprovação real do pagamento. 

Veja o vídeo da ação do trio:

Jornal Midiamax