Polícia

Sedutor teria ‘pego’ R$ 117 mil de uma só vítima em Campo Grande

 Vitima relata ainda que o suspeito usou cartões de crédito da sua mãe

Midiamax Publicado em 11/02/2015, às 21h40

None
aspira.jpg

 Vitima relata ainda que o suspeito usou cartões de crédito da sua mãe

Mulher que pode ter caído em golpe em Campo Grande relatou à Polícia Civil que teve um relacionamento de seis meses com o suspeito e que desde setembro de 2014 percebeu que estava sendo vitima de um suposto estelionatário.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o suspeito estava morando com a mulher quando teria furtado cartões de crédito e se apropriado das senhas que a vítima guardava junto com os cartões. Segundo relato da mesma, o suspeito realizou várias compras com os cartões, além de saques.

A vitima relata ainda que o jovem usou cartões de crédito da sua mãe e realizou diversas transferências bancárias para a sua conta. A mulher apresentou extratos bancários no momento do registro do B.O.

Ainda de acordo com a ocorrência, no dia 28 de novembro de 2014 o suspeito teria pedido o carro da mulher emprestado para ir a Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, e alegou que retornaria no dia 4 de dezembro, o que não aconteceu. O suspeito foi autuado pela Polícia Civil no dia 12 de dezembro por receptação.

Segundo consta no registro policial, o suspeito desviou da vítima – além da sua irmã e da mãe -, R$ 117 mil, sendo que deste total R$ 89.365,00 foram desviados através de empréstimos consignados, além do carro da mulher que estava em posse do suspeito.

Ponta Porã

O jovem de 25 anos, C.R.P.J, é suspeito de ter aplicado golpes em três mulheres de Campo Grande e o valor total é estimado em R$ 200 mil. De acordo com o delegado Jarley Inácio de Souza, de Ponta Porã, ele já tem um registro de estelionato por usar cheque de terceiros para fazer compras e não arcar com a divida.

Souza informou ainda que o rapaz foi autuado em Ponta Porã por receptação, pois o veículo com o qual estava pertencia a uma ex-namorada e tinha registro por apropriação indébita. Em relação ao estelionato que o suspeito teria praticado contra a vítima o delegado afirmou que é dizer, uma vez que ele estava com o boleto das parcelas do veiculo e afirmou que apesar de o carro estar no nome da namorada, ele que pagava a mensalidade.

Em depoimento, de acordo com Souza, o suspeito alegou que não tinha terminado o relacionamento com a vítima e que ela sabia que ele estava em Ponta Porã com o veículo. “Não foram R$ 117 mil de uma só vez, foram vários gastos e tem que ver até que ponto houve o estelionato e até que ponto houve cumplicidade e por algum motivo essa cumplicidade foi quebrada. Os empréstimos foram feitos em momentos diferentes”, relatou o delegado.

Souza disse ainda que o suspeito afirmou que a vítima não pediu o carro de volta.”O carro estava com busca, ela alegou que ele pegou o carro e não devolveu mais. Em relação aos cartões o caso foi no momento anterior e não tinha como fazer o flagrante. A única coisa que foi feita aqui (em Ponta Porã) foi a receptação do veículo”.

O caso foi encaminhado para a 1º Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande e será investigado. 

Jornal Midiamax