Polícia

Professora de 66 anos é espancada em frente de escola onde trabalha

Os autores  estavam em uma motocicleta

Diego Alves Publicado em 24/06/2015, às 23h33

None
i_1.jpg

Os autores  estavam em uma motocicleta

Uma professora de 66 anos, foi espancada na manhã desta quarta-feira (24), no momento em que chegava onde trabalha,  na Escola Municipal Cássio Leite de Barros, na rua Marechal Floriano, parte alta de Corumbá, 448 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o site Diário Corumbaense, os autores que ela não conseguiu visualizar estavam em uma motocicleta.

 “Estacionei meu carro na frente da escola, desci com uma bolsa em uma mão e a chave na outra e em seguida, me dirigi até a porta do passageiro para pegar uma outra bolsa. Quando abri a porta traseira, ouvi uma motocicleta que parou atrás de mim. Em seguida, já senti puxarem meu braço e torcer para trás. A dor foi tanta, que larguei de imediato a chave e a bolsa que estavam em minhas mãos”, contou a professora, que trabalha no setor administrativo da escola, ao Diário Corumbaense.

“Após torcer meu braço, um deles me deu socos no outro braço, soco no rosto, me enforcou, puxou meu cabelo e bateu meu rosto diversas vezes contra o carro, fiquei horrorizada, foi muito rápido”, afirmou.

A professora suspeita que tenham sido dois homens: “Eu não consegui ver quem eram os homens, apenas consegui identificar que eram dois, pois enquanto um batia minha cabeça no carro, o outro me chutava, dava socos, não sei ao certo, foram agressões na barriga e nas costas. Depois que eles me bateram, me soltaram e foram embora. Foi rápido”, enfatizou.

Mesmo com as agressões, nada foi levado da vítima. “Eles me agrediram e foram embora, não levaram nada e tiveram a oportunidade de pegar minha bolsa, a chave do carro, mas não pegaram nada, só me agrediram. É uma situação horrível, você fica sem entender o motivo das agressões, apanha sem saber por que”, lamentou ao frisar que não tem inimigos.

Jornal Midiamax