Polícia

PMs do Batalhão de Choque presos em suposta invasão já estão no presídio

Militares vão responder a procedimento administrativo

Wendy Tonhati Publicado em 22/06/2015, às 13h20

None
original_1347574538_438402383_5-vendo-uma-fazenda-corumba-iv-distrito-federal.jpg

Militares vão responder a procedimento administrativo

Os três policiais do BPChoque (Batalhão de Choque da Polícia Militar) presos na última sexta-feira (19), em uma fazenda na Estrada Parque, em Corumbá, 444 quilômetros de Campo Grande, estão presos no Presídio Militar, na Capital e vão responder a um procedimento administrativo.

Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Militar, o procedimento vai analisar as circunstâncias nas quais se deram os fatos e qual a função que eles desempenhavam no local, no dia da prisão. Os policiais estavam de folga e as armas da corporação foram entregues à Polícia Civil na data. Por enquanto, a PM não vai divulgar outras informações sobre o caso.

Prisão

Ao todo, nove pessoas foram presas e encaminhadas à Polícia Civil, sendo três policiais. De acordo com o boletim de ocorrência, o capataz da fazenda compareceu ao Quartel da Polícia Militar e disse que, durante a manhã, dez homens entraram na propriedade em um veículo utilitário e duas caminhonetes.

Consta que um dos homens pediu que o capataz entregasse o celular e se retirasse da fazenda, pois era o atual proprietário. Ele ainda teria dito que providenciaria um caminhão para o capataz fazer a mudança. Após a denúncia, 14 militares foram até a fazenda averiguar a situação. Quando chegaram ao local, foram recebidos pelo homem, que reafirmou ser o proprietário e, em seguida, apresentou três acompanhantes como membros da PM.

Os PMs que estavam na fazenda apresentaram as identidades funcionais aos militares que foram atender à ocorrência. Foi solicitado que os policiais mostrassem as armas, três pistolas pertencentes ao Estado. Também foram apresentados carregadores e munições.

O caso foi registrado como esbulho possessório, ameaça, disparo de arma de fogo, furto, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, sequestro e cárcere privado.

Jornal Midiamax